Notícias

Analista ambiental do ICMBio sofre atentado a bomba

Uma bomba foi jogada na casa da servidora da Área de Proteção Ambiental Cairuçu, em Paraty, no Sul Fluminense. Ninguém ficou ferido.

Daniele Bragança ·
11 de abril de 2013 · 9 anos atrás
Área de Proteção Ambiental de Cairuçu. Foto: Pedro S. Werneck e Tiago Almeida/EBC.

Uma analista ambiental do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) sofreu um atentado na madrugada dessa terça-feira (09). Uma pequena bomba foi jogada na casa da servidora, que trabalha na Área de Proteção Ambiental Cairuçu, em Paraty, no sul fluminense. O esquadrão antibombas da Polícia Civil coletou os resíduos para perícia e o caso está sendo investigado pela Polícia Federal de Angra dos Reis.

A bomba, colocada em cima do muro da casa, estraçalhou telhas e fez estragos na fiação do telefone e internet. Não houve feridos.

Não é a primeira vez que um servidor da APA Cairuçu sofre retaliações. Em 2007, o então gestor da APA, Marcelo Pessanha, teve a casa invadida de madrugada, embora nada tenha sido levado. Como o servidor já estava recebendo ameaças por telefone, o Ibama (o ICMBio ainda não tinha sido criado) concluiu que se tratava de intimidação.

Em 2008, outra servidora teve o carro incendiado criminalmente. Na ocasião, também foi queimado uma moto de uma ONG que fazia parceria com a unidade. Em julho do ano passado, essa mesma servidora teve outro carro incendiado. Com medo, ela pediu transferência de unidade.

Eduardo Godoy, chefe da APA de Cairuçu desde 2009, explicou à nossa reportagem que o principal problema é com o cumprimento do plano de manejo da unidade, que não permite edificações, como bares, restaurantes e pousadas nas ilhas de Paraty. Ao coibir uso ilegal da unidade, começaram as intimidações. O grande valor turístico da região se tornou a principal causa de conflitos. “O cumprimento da legislação afeta muitos interesses”, afirmou Godoy.

Ameaças verbais se tornaram rotina para os 6 analistas que trabalham na unidade de conservação. “Estamos acostumados com ameaças verbais, embora seja uma situação absurda. Mas já faz um tempo que a intimidação passou a ser contra os servidores. Atentados aconteceram em 2008, 2012 e 2013. O que nos espera 2014?” questiona.

Formada por 63 ilhas na Baia de Ilha Grande, com pouco mais de 33 mil hectares de grande valor turístico, a APA Cairuçu protege a maior concentração de áreas remanescentes de Mata Atlântica da Serra do Mar.

*Editado às 19h30, 12/04

 

  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Notícias
25 de outubro de 2021

Como frear crises hídricas, as atuais e as futuras?

Acompanhamos de perto, por aqui, uma expansão imobiliária desordenada, que, à luz do dia, destrói nascentes e despeja esgoto diretamente em cursos d’água

Reportagens
25 de outubro de 2021

Como os estados cuidam da Amazônia: comparamos dados de proteção, orçamento e desmatamento

Análise exclusiva do ((o))eco se debruça sobre dados ambientais dos nove estados da Amazônia Legal para compreender diferenças e semelhanças nas políticas públicas regionais

Notícias
22 de outubro de 2021

“Adote um ninho”: Conheça a campanha para a preservação dos papagaios brasileiros

Campanha busca incentivar a proteção dos papagaios por meio da construção de ninhos artificiais para suprir a falta de cavidades naturais, que estão diminuindo por conta do desmatamento

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta