Notícias

Superporto de Eike é campeão de devastação de Mata Atlântica

Empreendimento bilionário colocou São João da Barra (RJ) no topo da lista de municípios com maior área desmatada de 2011 para 2012

Redação ((o))eco ·
11 de julho de 2013 · 8 anos atrás

O Superporto do Açu, empreendimento apresentado como maior projeto de infraestrutura portuária do Brasil, foi o que provocou maior devastação de áreas da Mata Atlântica entre 2011 e 2012 em todo o país. Em sua fase final de instalação, a obra de custo estimado em pelo menos R$ 4 bilhões, levou a destruição de uma área de 937 hectares de restinga, colocando São João da Barra, no Rio de Janeiro, no topo da lista dos municípios que mais perderam vegetação de Mata Atlântica no período. Trata-se de um dos principais projetos do bilionário Eike Batista no país, um empreendimento da LLX Logística, empresa do grupo EBX. A relação de municípios que mais devastaram áreas de mata, restinga e mangue foi divulgada em junho e faz parte do Atlas dos Remanescentes Florestas (clique para baixar documento PDF). A estimativa foi feita com base em observação de satélites por meio de uma parceria o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e a Fundação SOS Mata Atlântica.

Estrago ambiental é o maior do país. Foto: Divulgação/LLX

Na página do empreendimento, a empresa afirma que “atende rigorosamente a legislação ambiental” e lista iniciativas para compensar o impacto, incluindo a criação da Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Caruara. O Data Cidades organizou os dados em um mapa em que é possível observar outras áreas com alto índice de devastação da Mata Atlântica no Brasil. Além do círculo vermelho gigante que marca a destruição relacionada ao empreendimento no Rio de Janeiro, chamam a atenção também pontos em outras regiões.

No Piauí, estado pela primeira vez incluído no monitoramento regular organizado pelos técnicos, chamam atenção pontos espalhados que estão relacionados à presença de carvoarias, silvicultura e avanço da soja no Estado, de acordo com informações divulgadas na apresentação do estudo por Marcia Hirota, coordenadora do Atlas pela SOS Mata Atlântica. Também chamam atenção pontos de concentração em Sergipe, e no interior da Bahia, Minas Gerais e Paraná. Navegue no mapa abaixo clicando no botão para ver á área desmatada de 2011 para 2012 e a posição que o município fica no ranking do desmatamento de Mata Atlântica. Use o zoom para aproximar e clique aqui para ver o mapa em uma janela maior.

Clique aqui para o ranking dos municípios com maior devastação da Mata Atlântica no período – arquivo em formato Excel e CSV.

Leia também

Reportagens
25 de outubro de 2021

Exploração ilegal de madeira aumenta no Mato Grosso e chega a 88,3 mil hectares em 2020

Ilegalidade atinge 38% da área total utilizada para extração de madeira no estado. Mais de 10 mil hectares explorados de forma ilegal foram em áreas protegidas

Análises
25 de outubro de 2021

Como frear crises hídricas, as atuais e as futuras?

Acompanhamos de perto, por aqui, uma expansão imobiliária desordenada, que, à luz do dia, destrói nascentes e despeja esgoto diretamente em cursos d’água

Reportagens
25 de outubro de 2021

Como os estados cuidam da Amazônia: comparamos dados de proteção, orçamento e desmatamento

Análise exclusiva do ((o))eco se debruça sobre dados ambientais dos nove estados da Amazônia Legal para compreender diferenças e semelhanças nas políticas públicas regionais

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta