Notícias

Rinoceronte-negro: o tempo está se esgotando

A espécie parecia se afastar da extinção, mas a caça ilegal continua e não dá tréguas. Há apenas 4.848 rinocerontes-negros sobreviventes.

Redação ((o))eco ·
23 de outubro de 2014 · 7 anos atrás

Um rinoceronte-negro ([i]Diceros bicornis[/i]) faz o seu caminho através do Parque Nacional de Etosha, Namíbia. Foto:
Um rinoceronte-negro ([i]Diceros bicornis[/i]) faz o seu caminho através do Parque Nacional de Etosha, Namíbia. Foto:

O rinoceronte-preto (Diceros bicornis) é uma espécie de rinoceronte nativa da África Oriental e Central. Durante a maior parte do século 20, o rinoceronte-negro foi a mais numerosa de espécies de rinocerontes do mundo, mas a caça predatória e autorizações de terra para assentamentos e agricultura reduziram drasticamente a população. Entre 1960 e 1995, a caça ilegal em grande escala significou a perda de 97,8% destes animais. A subespécie rinoceronte-negro-ocidental (Diceros bicornis longipes) foi considerada extinta no ano de 2011. Mesmo com medidas de conservação, o risco da caça permanece: ela abastece o comércio internacional de chifres de rinoceronte, usado na medicina tradicional de alguns países asiáticos, que ainda acreditam nas propriedades medicinais do material. Com tão poucos exemplares e sob tamanho risco, a Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da IUCN classifica a espécie como ‘Em Perigo Crítico de Extinção‘.

 

 

Leia Também
Peixe-Napoleão: o protetor em perigo de extinção
Bonobos: nome engraçado, destino nem um pouco
Mabecos em disparada pela sobrevivência

 

 

 

Leia também

Notícias
26 de novembro de 2021

Informação obtida via LAI revela que MCTI recebeu dados do desmatamento em 1º de novembro

Ministro Marcos Pontes disse que dados não foram publicados antes da Conferência do Clima porque ele estava de férias. Agenda oficial registra férias entre 8 e 19 de novembro

Notícias
26 de novembro de 2021

Jornalismo digital brasileiro se une em campanha de financiamento

Ação reúne 26 organizações com objetivo de arrecadar doações para fortalecimento do jornalismo digital de qualidade

Reportagens
26 de novembro de 2021

MPF pede anulação da Licença de Instalação do Linhão Tucuruí na terra Waimiri Atroari

Ação aponta que União e a Transnorte agem ilegalmente no licenciamento da obra. Autossuficientes em energia elétrica, os Waimiri Atroari são contra o empreendimento e sentem “a floresta sangrar”

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta