Notícias

Boletim: ministro ignora repórteres na COP 26 e não comenta alta do desmatamento

Enquanto a conferência aguarda o fim das negociações, o destaque do dia foi o silêncio do ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, sobre o aumento do desmatamento na Amazônia

Redação ((o))eco ·
12 de novembro de 2021

A Conferência do Clima que ocorre em Glasgow, Escócia, se aproxima do final, com as negociações estendidas até pelo menos a noite desta sexta-feira (12). Enquanto o pacote que emergirá da COP26 não vem à tona, o Brasil volta seus olhos para o ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, e seu silêncio sobre a taxa de desmatamento do mês de outubro na Amazônia, que registrou mais um recorde e nova alta. Depois de convocar uma curta coletiva, na qual disse que não conhecia os números do desmatamento, o ministro foi acompanhado por dois repórteres, Jamil Chade e Maristela Souza Pinto, que sabatinaram Leite com uma série de perguntas por 1 minuto e meio sem obter nenhuma resposta. O ministro que outrora encheu a voz na COP para anunciar que o Brasil iria acabar com o desmatamento ilegal até 2028, agora silencia – um silêncio tão retumbante que chega a ser sonoro – diante dos dados incontestáveis de que o desmatamento segue fora do controle na Amazônia brasileira.

Escute o 12º episódio do podcast feito por Claudio Angelo e Felipe Werneck, do Observatório do Clima, em parceria com ((o))eco:

Leia também

Notícias
12 de novembro de 2021

Desmatamento bate recorde em outubro e expõe vazio dos discursos do Brasil na COP

O mês de outubro registrou 877 km² de área desmatada na Amazônia, alta de 5% e patamar mais alto para o mês desde 2015

Notícias
10 de novembro de 2021

Boletim: Brasil de mãos vazias e sem dados de desmatamento na COP 26

Neste episódio ouvimos a repórter Cristiane Prizibisczki, que fala sobre o esforço do Brasil na COP-26 para mascarar a ausência de resultados positivos na área ambiental

Notícias
9 de novembro de 2021

COP26 – Brasil vai para Conferência do Clima sem dados oficiais de desmatamento

Historicamente, a divulgação das estimativas do Prodes é feita sempre antes ou durante o evento. É a segunda vez em quase duas décadas que isso acontece

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. Denise Souza diz:

    O Brasil é um exemplo a ser seguido, pela preservação de suas florestas nativas sendo um dos países q menos emitem o CO2! Utilizando somente 41% de seu território agricultável! Portanto podemos sim é ensinar a mundo como preservar!