Notícias

Dados de queimadas continuarão disponíveis, garante INPE

Em nota conjunta, o diretor do INPE e o diretor do Inmet afirmam que nada mudará no Projeto Queimadas e na divulgação dos dados de incêndios

Daniele Bragança ·
14 de julho de 2021 · 1 anos atrás

Em nota conjunta publicada nesta quarta-feira (14), o diretor do INPE, Clezio Marcos De Nardin, e o diretor do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), Miguel Ivan Lacerda de Oliveira, garantem que o monitoramento, estudos e divulgação dos dados de queimadas pelo INPE vai continuar. Ontem, saiu na imprensa, com repercussão também em ((o))eco, o anúncio de Lacerda de Oliveira de que a partir de então a divulgação dos dados de queimadas ficaria a cargo do Inmet, sendo excluídos do processo o INPE e o Censipam.

A notícia veio da fala feita pelo diretor do Inmet durante apresentação online do novo produto do Sistema Nacional de Meteorologia (SNM) – criado em maio e da qual fazem partes o INPE, o Censipam e o Inmet –, e gerou grande repercussão, principalmente pelo histórico do governo de tentativa de cercear o INPE.  

Segundo a nota conjunta, publicada hoje, não haverá mudanças: “É errada a informação de que os estudos e divulgação de dados sobre incêndios florestais e queimadas deixarão de ser realizados pelo INPE, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. O INPE continuará liderando o Programa de Queimadas junto ao Sistema Nacional de Meteorologia (SNM) e todos os dados sobre queimadas e incêndios produzidos pelo Instituto continuarão disponíveis livremente para a população em geral por meio do portal http://www.inpe.br/queimadas”, informa. 

“O trabalho e as responsabilidades da unidade de pesquisa vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações não sofreram nem vão sofrer qualquer alteração. Há 60 anos o INPE/MCTI é referência internacional em pesquisas espaciais, georreferenciamento e estudos climáticos, e conta com uma equipe de pesquisadores altamente qualificados”, escreveram os diretores

Anúncio em reunião com ministra

A informação de que o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) passaria a concentrar a divulgação de dados de incêndios e queimadas no país foi feita em uma reunião online realizada na noite de segunda-feira (12), com a presença da ministra da Agricultura (MAPA), Tereza Cristina.

“A gente já fechou hoje, pela manhã, que não haverá mais emissão [de alertas] do INPE ou do Censipam sobre incêndios, que será do Sistema Nacional de Meteorologia todos os relatórios do governo federal”, disse Miguel Ivan Lacerda de Oliveira durante a live (A apresentação, na íntegra, pode ser vista aqui. A fala começa a partir de 9 min:50s).

Segundo o diretor do Inmet, a nova estrutura resolveria a “pulverização e dissonância na divulgação de dados” sobre incêndios no país, o que, segundo ele, é um “problema que o país enfrenta há mais de 40 anos e que nunca foi tratado”. 

A fala de Miguel Ivan Lacerda de Oliveira ganhou as páginas dos jornais na terça pela manhã. Após a repercussão, ((o))eco apurou que os pesquisadores do INPE não foram avisados de qualquer mudança.

“Fomos surpreendidos aqui no INPE pelas notícias na mídia nesta manhã (13/7). Desconhecemos no Programa Queimadas e no INPE quaisquer tratativas no sentido de alterar a atuação do Programa ou a divulgação dos seus inúmeros produtos, e as notícias em questão nos são totalmente estranhas”, disse a ((o))eco Alberto Setzer, pesquisador do INPE e coordenador do Programa Queimadas entre as décadas de 1980 e 2020, em conversa com a repórter Cristiane Prizibisczki.

De tarde, o Sistema Nacional de Meteorologia publicou uma nota desmentindo a imprensa, mas confirmando que as informações sobre queimadas seriam divulgadas de maneira unificada pelo Inmet e não mais de forma autônoma por cada órgão, que era exatamente o que a imprensa estava denunciando.

  • Daniele Bragança

    Repórter e editora do site ((o))eco, especializada na cobertura de legislação e política ambiental.

Leia também

Notícias
13 de julho de 2021

Pesquisadores do INPE foram surpreendidos com mudanças na divulgação de dados sobre queimadas

Alertas de incêndios serão feitos pelo Inmet a partir de agora. Especialistas do INPE souberam da mudança pela imprensa

Notícias
27 de abril de 2021

Verba para monitoramento do desmatamento e queimadas cai 60% em 10 anos

Com vetos presidenciais na LOA 2021, INPE terá somente R$ 2,6 milhões para monitorar queimadas no Brasil e desmatamento na Amazônia

Notícias
2 de agosto de 2019

Diretor do INPE é exonerado após Bolsonaro criticar dados do desmatamento

Demissão ocorreu após 2 semanas de crise iniciada pelo presidente, que disse a jornalistas estrangeiros que Ricardo Galvão estava “a serviço de ONGs”

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta