Notícias

Senadores querem adiar Cadastro Ambiental Rural para 2018

Proposta que prorroga em 2 anos e meio o prazo limite para a inscrição dos imóveis rurais no sistema foi aprovada na Comissão de Agricultura.

Daniele Bragança ·
3 de setembro de 2015 · 6 anos atrás
Acir Gurgacz (PDT-RO), relator da proposta que adia o CAR na comissão de agricultura do Senado. Foto: Pedro França/Agência Senado
Acir Gurgacz (PDT-RO), relator da proposta que adia o CAR na comissão de agricultura do Senado. Foto: Pedro França/Agência Senado

Um dos principais dispositivos para tornar o novo Código Florestal realidade pode ser adiado para maio de 2018. A comissão de Agricultura do Senado acaba de aprovar a proposta que adia em dois anos e meio a data-limite para os proprietários rurais aderirem ao Cadastro Ambiental Rural. A autoria da proposta é do senador Romero Jucá (PMDB-RR).

O Cadastro Ambiental Rural (CAR) é um registro eletrônico que identificará as reservas legais e as áreas de preservação permanente das propriedades rurais do país. O cadastro, além de obrigatório, é pré-requisito para o acesso do produtor ao crédito rural.

Para Jucá, é insuficiente o prazo de maio de 2016 para todos os 5,2 milhões de estabelecimentos rurais do país aderirem ao CAR. Segundo o senador, apenas um terço dos imóveis rurais foram cadastrados até o momento.

“Concordamos com a dilatação do prazo original, tendo presente a quantidade de imóveis rurais ainda pendentes de cadastramento ambiental, a despeito do acelerado ritmo de regularização observado nos últimos meses por todo o país, o que só demonstra o compromisso dos produtores com a sustentabilidade do agronegócio”, afirmou em seu voto a favor o relator Acir Gurgacz (PDT-RO).

A proposta aprovada nesta quinta-feira (3) na Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA) ainda terá que passar pela Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA) e de lá seguir para a Câmara dos Deputados.

 

 

Leia Também
Governo prorroga prazo e agora quer pressa para Cadastro Ambiental Rural
O desafio de incluir as reservas extrativistas no Cadastro Ambiental Rural
Ruralistas pedem prorrogação do prazo para adesão ao CAR

 

 

 

  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Salada Verde
14 de abril de 2015

Ruralistas pedem prorrogação do prazo para adesão ao CAR

Confederação Nacional da Agricultura defende aumentar o prazo-limite para se aderir ao Cadastro Ambiental Rural. Prazo vence no dia 5 de maio.

Reportagens
3 de junho de 2015

O desafio de incluir as reservas extrativistas no Cadastro Ambiental Rural

A inscrição é obrigatória para todas as propriedades rurais do país, incluindo terras tradicionalmente ocupadas por populações tradicionais.

Notícias
5 de maio de 2015

Governo prorroga prazo e agora quer pressa para Cadastro Ambiental Rural

Apenas 25% da propriedades rurais do país aderiram ao sistema dentro da data limite estipulada. Proprietários ganharam mais um ano de prazo.

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 6

  1. Leandro diz:

    Há produtores preocupados com a questão da água e vêem na obediência ao Código Florestal uma maneira de reagir positivamente à escassez de recursos hídricos. Tais pessoas agem com inteligência, pois sabem que estarão fortalecendo suas fontes de recursos e consequentemente sua produção. Para essas pessoas, desenvolvemos o FuraCAR, um aplicativo Android que permite a demarcação das camadas do CAR "in loco". Com ele, através do próprio celular, o produtor ou responsável poderá realizar a demarcação de maneira offline. Com ele, é possível fazer uma demarcação mais precisa inclusive. O FuraCAR está disponível na google play para todo o Brasil: https://play.google.com/store/apps/details?id=com


  2. Ricardo Conti diz:

    A prorrogação talvez seja necessária justamente para incluir os pequenos agricultores da chamada agricultura familiar no cadastro ambiental. Pois os grandes produtores, esses do agronegócio já fizeram o cadastro. É só verificar que a área cadastrada corresponde a 53,56% da área total passível de cadastro, enquanto o número de imóveis chega a apenas 1,5 milhão de imóveis, ou seja, 21% do total de 5,6 milhões de imóveis rurais existentes no Brasil.


  3. Edvard Pereira diz:

    Este é um país (com "p" minúsculo mesmo) de faz de conta. Muito antes deste tal CAR entrar em vigor os proprietários rurais (todos), já tinham conhecimento da sua existência e que deveriam aderir a ele, pois é uma lei federal. Agora adiar para 2018 será apenas para beneficiar os grandes e médios proprietários de terra, já que o pequeno produtor rural em sua maioria já aderiu a este tal CAR. E ainda temos que aguentar esta corja de deputados e senadores mal intencionados e com objetivos escusos propondo uma medida tão esdrúxula!


  4. Fer diz:

    “[…] a despeito do acelerado ritmo de regularização observado nos últimos meses por todo o país, o que só demonstra o compromisso dos produtores com a sustentabilidade do agronegócio”. Na verdade eles estão preocupados com os financiamentos e com o risco de multas. Preocupação com a sustentabilidade será no mínimo a terceira preocupação deles…


  5. George diz:

    Bando de inconsequentes, vão fazer o ajuste fiscal antes que a casa caia de vez, e parem de perder tempo mexendo com a (já enfraquecida) legislação ambiental!


  6. paulo diz:

    Senadores efetuando, de novo, o deserviço a nação brasileira. A falta de água já chegou na área urbana, logo estará nas postas do agronegócio, e não adiantará fazer poços artesianos srs. senadores hipócritas.