Reportagens

A hora do embarque

Redação ((o))eco ·
10 de março de 2008 · 16 anos atrás

Nesta segunda-feira O Eco embarca na última semana da expedição científica que desde 24 de fevereiro realiza levantamentos de flora, fauna, paisagem e sócio-economia no Parque Nacional do Juruena. É a terceira vez que pesquisadores visitam a área protegida desde sua criação, em junho de 2006. Depois de um primeiro reconhecimento da área e de estudos feitos na porção sul da unidade de conservação, em novembro do ano passado, equipes do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMbio), Instituto Centro de Vida (ICV) e WWF-Brasil estão neste momento na divisa dos estados de Mato Grosso, Pará e Amazonas, onde os rios Juruena e Teles Pires se encontram para formar o Tapajós. Até lá serão cerca de duas horas de sobrevôo a partir de Alta Floresta (MT) num monomotor até a pista de pouso mais próxima. Força da natureza Desde o início da expedição, que pretende reunir informações cruciais para elaboração do plano de manejo do Parque Nacional do Juruena, a natureza já mostrou às cerca de 30 pessoas embarcadas que enfrentar uma região remota como esta requer, no mínimo, flexibilidade no planejamento. A princípio, a campanha iria navegar pelo rio Juruena e por lá fazer paradas em pelo menos dois pontos estratégicos para permitir que os pesquisadores recolhessem seus dados. Mas não deu. Além da cheia do rio, que dificultava encontrar áreas de barranco para atracar o barco, as equipes de apoio fizeram à organização, já em campo, uma surpreendente advertência: havia tantos mosquitos que era impossível permanecer no lugar por mais de alguns minutos. Entenda como os mosquitos expulsaram os pesquisadores do rio Juruena na entrevista com o biólogo Ricardo Umetsu, da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), pesquisador titular de artrópodes para o plano de manejo do parque.

Leia também

Notícias
19 de junho de 2024

Coletivos de jovens repudiam falta de participação em evento preparatório do G20, em Belém

Para ativistas, como resultado das falhas de organização oficial do evento, houve pouca representatividade de jovens em plenárias realizadas esta semana na capital paraense

Reportagens
19 de junho de 2024

Fenômenos naturais ameaçam de extinção quase 4 mil espécies terrestres

Estudo inédito revela que terremotos, furacões, tsunamis e vulcões colocam em risco cerca de 10% das espécies de vertebrados terrestres do mundo, principalmente em ilhas e regiões tropicais

Notícias
19 de junho de 2024

Governo reforça que pedirá volta do exterior das ararinhas comprovadamente brasileiras

Medida depende igualmente de questões como negociações diplomáticas e arranjos logísticos entre os países envolvidos

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.