Reportagens

Sobe e desce do desmatamento

Imazon registra aumento de 90% no desmatamento na Amazônia em outubro de 2009, se comparado ao mesmo mês de 2008. Em termos relativos, corte raso cresceu mais em Roraima.

Redação ((o))eco ·
25 de novembro de 2009 · 12 anos atrás
Em vermelho, áreas de corte raso. Em azul, degradação florestal. Fonte: Imazon
Em vermelho, áreas de corte raso. Em azul, degradação florestal. Fonte: Imazon

O Instituto do Homem e Meio Ambiente na Amazônia (Imazon) divulgou nesta quinta-feira dados de desmatamento e degradação florestal aferidos pelo Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD) para o período de outubro de 2009. A Amazônia Legal sofreu 194 quilômetros quadrados de corte raso, um aumento de 90% em relação a outubro de 2008. Se comparado ao mês anterior, setembro de 2009, houve queda de 10%.

De agosto a outubro deste ano o desmate na Amazônia Legal chegou a 682 quilômetros quadrados, o que também significa aumento de 30% em relação ao mesmo período de 2008. O Pará lidera o ranking dos estados que mais desmataram a Amazônia (45%), seguido por Mato Grosso (22%) e Rondônia (13%). Mas no quesito degradação florestal (quando apenas algumas árvores são retiradas ou queimadas, num estágio que geralmente antecipa o corte raso), Mato Grosso assume a dianteira (42% do total). Depois aparecem Pará e Rondônia (27%) e Amazonas (4%). Ao todo foram degradados 104 quilômetros quadrados de florestas.

É importante atentar para onde o desmatamento cresceu mais em termos relativos. O Imazon descobriu, por exemplo, que comparando agosto a outubro de 2009 com o mesmo período de 2008, ele foi mais expressivo em Roraima (+209%), depois vem Acre (+149%), Rondônia (+119%), Amazonas (+64%) e Pará (+20%). No Mato Grosso o desmatamento diminuiu 17% no período.

Leia o boletim completo do Imazon



Leia também

Salada Verde
3 de dezembro de 2021

Paraná pretende reativar trecho brasileiro de trilha histórica que liga o Atlântico ao Pacífico

Chamada de Caminhos do Peabiru, trilha tem 1.550 no trecho paranaense, que vai de Paranaguá a Guaíra. Caminho era usado por incas e guaranis, antes da colonização

Notícias
3 de dezembro de 2021

Amapá vende terras públicas invadidas a R$ 46 o hectare

Estado possui mais de 2,5 milhões de hectares de áreas ainda não destinadas. Cerca de 50% deste total é classificado como de importância biológica extremamente alta

Reportagens
3 de dezembro de 2021

Novo Código de Mineração propõe aprovação automática de milhares de processos parados na ANM

Proposta pode afetar mais de 90 mil requerimentos que aguardam aprovações técnicas e ambientais; medida ainda interfere na criação de unidades de conservação e dificulta demarcação de terras indígenas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta