Reportagens

Cortina de fumaça

Pela última contagem do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, 135 áreas protegidas têm focos de calor. Imagem de satélite sai avermelhada de tanta fumaça.

Redação ((o))eco ·
21 de setembro de 2010 · 11 anos atrás

Só mesmo o monitoramento por satélite do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) para contabilizar quantas áreas naturais protegidas brasileiras estão sendo consumidas pelo fogo nesta severa estiagem. São 135 pela última contagem. Parque Nacional de Brasília, 25% da vegetação viraram cinzas. Parque das Emas, 93%. Parque da Chapada dos Veadeiros, outros 35% de estragos. Com um pouco de conhecimento de imagens, é possível enxergar o tamanho do problema das nossas próprias casas.

Esta imagem obtida no dia 15 de setembro do satélite Resourcesat revela mais uma faceta da tragédia do fogo. Ela foi tirada sobre a região do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães (MT) — marcado com bordas azuis — e mostra zonas enegrecidas por onde o fogo já passou, totalizando por enquanto 13.200 hectares, ou 40% da unidade de conservação. Mas a foto está avermelhada. É a fumaça, em quantidades avassaladoras, que sai das centenas de focos de calor no entorno da cidade e do parque nacional.

Leia também

Salada Verde
29 de novembro de 2021

ICMBio abre concurso para 171 vagas

Edital publicado nesta segunda-feira (29) oficializa o concurso para servidores do órgão ambiental, com 61 vagas para analistas e 110 de técnicos

Notícias
29 de novembro de 2021

Conama volta a debater proposta que restringe cadastro de entidades ambientalistas

As alterações propostas aumentam a burocracia e diminuem a ampla participação das entidades ambientalistas no Conama. Organizações socioambientais pedem pela rejeição do projeto

Notícias
26 de novembro de 2021

Informação obtida via LAI revela que MCTI recebeu dados do desmatamento em 1º de novembro

Ministro Marcos Pontes disse que dados não foram publicados antes da Conferência do Clima porque ele estava de férias. Agenda oficial registra férias entre 8 e 19 de novembro

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta