Reportagens

Retrato-falado

Graças a manchas e a calosidades espalhadas pelo corpo, baleias-francas podem ser identificadas individualmente e à distância, como do alto de um helicóptero.

Carolina Elia ·
22 de setembro de 2004 · 17 anos atrás

As baleias-francas, junto com as jubarte, são as mais fáceis de serem reconhecidas individualmente. A jubarte graças ao formato da sua cauda. A franca, pelas calosidades espalhadas em sua cabeça. A disposição das calosidades nunca se repete e vira a impressão digital de cada baleia. Graças a elas, é possível fazer o retrato-falado de uma franca. A bióloga Karina Groch, que trabalha no Projeto Baleia Franca desde 1996, tem olho treinadíssimo. Consegue reconhecer indivíduos da espécie franca à distância. Já ajudou a catalogar 332 deles que passaram pelo litoral brasileiro.


As calosidades na cabeça de uma franca seguem a mesma distribuição dos cabelos do rosto humano masculino. Elas se formam na parte superior do crânio, sobre os olhos, no queixo, próximo à boca e perto do orifício respiratório. Sua visualização é facilitada pelos ciamídeos, um crustáceo branco-amarelado que colonizam essas protuberâncias. Algumas baleias também possuem outras indicações de sua individualidade, como cicatrizes. É o caso da Dot J (foto). Ela foi vista pela primeira vez na década de 70 na Argentina e tem no dorso uma cicatriz com o formato da letra J colada a um pontinho branco, daí o apelido. Em 2001 a Dot J foi vista com um filhote no litoral do Rio Grande do Sul e este ano apareceu de novo com uma nova cria.


As baleias-francas costumam voltar ao mesmo lugar de três em três anos e eleger um lar para criar os filhotes. A espécie não é muito acrobática, mas nesse período é comum ver mãe e filho ensaiando manobras.  Numa mistura de carinho e brincadeira, a mãe incentiva o desenvolvimento da coordenação motora do bebê e lhe ensina alguns hábitos da espécie. Entre eles o de se virar sozinho, já que com um ano de vida os filhotes se separam das mães.   Como as calosidades demoram a ser colonizadas pelos crustáceos, os biólogos têm dificuldade de identificar filhotes logo após o nascimento, sendo possível somente após alguns meses de vida.


Uma outra característica única das baleias-francas é o esguicho em forma de V, um efeito provocado pela fato dos dois orifícios respiratórios da baleia serem separados. O esguicho nada mais é do que o ar quente que sai dos pulmões da franca e condensa ao entrar em contato com o ar frio. É um fenômeno comum, uma vez que a espécie não consegue ficar mais de vinte minutos sem subir à superfície. As francas são capazes de jorrar água a 8 metros de altura e o som produzido pode ser ouvida à distância.

Leia também

Notícias
17 de janeiro de 2022

Livro celebra cem anos da descrição da jararaca-ilhoa com alerta sobre conservação da serpente endêmica

Escrita em linguagem acessível para o público em geral, a publicação celebra os cem anos da descrição da jararaca-ilhoa, feita por por Afrânio do Amaral (1894-1982), à época diretor do Instituto Butantan

Notícias
17 de janeiro de 2022

Rondônia proíbe destruição de equipamentos durante fiscalização ambiental

Governador sanciona, com veto parcial, lei que proíbe que fiscais do estado inutilizem maquinário apreendido em ações de fiscalização ambiental

Notícias
14 de janeiro de 2022

Thiago de Mello, conhecido como o “poeta da floresta”, morre aos 95 anos

Poeta e jornalista amazonense cantou em prosa e verso sua luta pela preservação da maior floresta tropical do mundo

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta