Salada Verde

Unidos pelo bem das montanhas

Criada há poucos dias, associação mundial quer equilibrar conhecimento científico, conservação ambiental e ganhos econômicos para reduzir degradação em cadeias montanhosas.

Salada Verde ·
23 de outubro de 2009 · 12 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Vale e trilha na região de Eisenwurzen (Áustria). Foto: Roman Klementschitz
Vale e trilha na região de Eisenwurzen (Áustria). Foto: Roman Klementschitz

Com apoio da Unesco, belos picos e parques montanhosos como Kilimanjaro (Tanzânia), Monte Hood (Estados Unidos), Bergstasse (Alemanha), Eisenwurzen (Áustria) e Gaina e Covsna (Romênia) passaram a integrar nos últimos dias a Associação Internacional de Montanhas Famosas. E a idéia ganhou corpo em um lugar muito especial, no Monte Lushan, um dos mais visitados da China, país onde há séculos as montanhas recebem peregrinos e são ponto descanso e contemplação. Mas todos esses povos têm em comum problemas com degradação, poluição e desrespeito por essas formações. Daí veio a associação, para unir forças e dividir experiências de desenvolvimento econômico e proteção ambiental, nos cinco continentes. As regiões que já abraçaram a iniciativa ganharão o status de geoparques, chancela das Nações Unidas para zonas de grande importância científica, ecológica, cultural e arqueológica. O único geoparque da América Latina fica no Brasil: a região do Araripe, no Ceará.

Leia também

Notícias
26 de novembro de 2021

Informação obtida via LAI revela que MCTI recebeu dados do desmatamento em 1º de novembro

Ministro Marcos Pontes disse que dados não foram publicados antes da Conferência do Clima porque ele estava de férias. Agenda oficial registra férias entre 8 e 19 de novembro

Notícias
26 de novembro de 2021

Jornalismo digital brasileiro se une em campanha de financiamento

Ação reúne 26 organizações com objetivo de arrecadar doações para fortalecimento do jornalismo digital de qualidade

Reportagens
26 de novembro de 2021

MPF pede anulação da Licença de Instalação do Linhão Tucuruí na terra Waimiri Atroari

Ação aponta que União e a Transnorte agem ilegalmente no licenciamento da obra. Autossuficientes em energia elétrica, os Waimiri Atroari são contra o empreendimento e sentem “a floresta sangrar”

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta