Salada Verde

Loucuras amazônicas

Obra de ficção narra luta por sobrevivência de piloto na Amazônia, onde descobre realidades da floresta e passa a lutar por ela.

Salada Verde ·
29 de março de 2010 · 12 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Mas a narrativa, que soa de início como um thriller policial, na verdade serve de pano de fundo para revelar realidades ainda desconhecidas ou simplesmente ignorada pela maioria dos brasileiros. Perdido na mata, o piloto aprende a sobreviver passando por situações perigosas, desde a perseguição por uma onça, à falta de alimento e água, até ser aprisionado por garimpeiros criminosos.

Na sua busca por sobrevivência, também topa com escravidão, filantropia, pistoleiros, prostituição, corrupção, política, desmatamento, paisagens deslumbrantes, animais selvagens, e, principalmente, a transformação do ser humano quando reinserido em seu habitat original, a natureza. Aos poucos, cita o autor, “o piloto aprende os segredos ocultos da selva e começa a combater o desmatamento da floresta – aparentemente, tem um louco solto na Amazônia.

A obra custa menos de trinta reais. Mais informações aqui. As primeiras 29 páginas do livro podem ser conferidas em PDF aqui.

Leia também

Notícias
2 de dezembro de 2021

Lideranças indígenas do Pará cedem à pressão de invasores e aceitam reduzir seu território pela metade

Caciques da TI Apyterewa disseram ao STF que, em “acordo” feito com invasores, aceitam redução de 392 mil hectares de suas terras

Notícias
2 de dezembro de 2021

Com maioria no Conama, governo federal impõe mudanças no CNEA

Conama aprova alterações no Cadastro Nacional de Entidades Ambientalistas e impõe mais burocracia e custos para a participação da sociedade civil no conselho

Reportagens
2 de dezembro de 2021

Secas recorrentes afetam a capacidade de recuperação da Floresta Amazônica, alerta estudo

Nas últimas duas décadas, a Floresta Amazônica tem sido impactada por secas cada vez mais intensas e frequentes. As mais severas ocorreram em 2005, 2010 e 2015

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta