Salada Verde

Ovos de tartaruga-de-couro prontos para eclodir

Identificado local de desova de tartarugas no Delta do Parnaíba, no Piauí. Equipe de projeto ambiental está de plantão para proteger os filhotes.

Salada Verde ·
18 de junho de 2010 · 12 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Biólogos do Tartarugas do Delta encontram ninho (foto: divulgação)
Biólogos do Tartarugas do Delta encontram ninho (foto: divulgação)
Biólogos e voluntários que formam o Tartarugas do Delta, no Delta do Parnaíba, Piauí, identificaram o local utilizado para desova de tartaruga-de-couro (Dermochelys coriacea) – uma espécie criticamente ameaçada da fauna brasileira. A expectativa é que a eclosão do ninho ocorra entre esta sexta (18) e o dia 23 de junho. Um acampamento foi montado para monitorar o ninho. “A eclosão pode ser a qualquer momento, mas acreditamos que possivelmente seja entre domingo (20) e quarta-feira (23)”, disse a bióloga Werlanne Santana, ao repórter Francisco Brandão, do site Proparnaiba. Ela estima que esta eclosão tenha mais ou menos cem filhotes.

A tartaruga-de-couro escolheu a praia de Barra Grande, em Cajueiro da Praia, possivelmente dois meses antes da localização feita pelos biólogos. Na Praia do Sal, em Parnaíba, outro ninho foi encontrado. Antes dessas descobertas, a espécie só tinha ninhos identificados no estado do Espírito Santo.

O pessoal do Tartarugas do Delta acredita que a tartaruga deverá sair do mar outras vezes para depositar mais ovos. O grupo espera que até o mês de julho outros ninhos na costa piauiense eclodam. “Estamos monitorando o nascimento de tartarugas das cinco espécies para os próximos dias em boa parte da extensão do nosso litoral”, declarou a bióloga Kesley Paiva.

De acordo com as pegadas na areia da praia, o indivíduo mede cerca de 1,50 metros e deve pesar em torno de 300 quilos. Entre os quelônios, a tartaruga-de-couro é a maior encontrada na costa brasileira, pode atingir 2 metros e pesar 700 quilos, embora exemplares maiores já tenham sido identificados. (Celso Calheiros)

Ovos enterrados no ninho (foto: divulgação)
Ovos enterrados no ninho (foto: divulgação)

Medindo os ovos (foto: dvulgação)
Medindo os ovos (foto: dvulgação)

Leia também

Reportagens
27 de maio de 2022

Um caminho (e um sonho) para unir a América

A construção de uma trilha pan-americana que conecte caminhos do Alasca à Patagônia parece um sonho distante, mas já há sonhadores dispostos a montar esse quebra-cabeça

Notícias
27 de maio de 2022

São Paulo registra duas décadas de poluição do ar acima do recomendado pela OMS

Em alguns pontos da cidade, concentração de poluentes foi quatro vezes maior do que o indicado, mostra estudo. Poluição mata 7 milhões de pessoas por ano no mundo

Notícias
26 de maio de 2022

Conexão de trilhas e pessoas embala 1º Congresso Brasileiro de Trilhas

Evento que começou nesta quarta (25) e se estende até domingo, em Goiânia, conta com mais de 1.500 inscritos para discutir e fomentar a implementação de trilhas no Brasil

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta