Salada Verde

ICMBio se posiciona sobre Biguaçu

Após ser acionado por Ministério Público Federal, órgão ambiental decide dar publicidade aos resultados do grupo de trabalho sobre empreendimento da OSX.

Redação ((o))eco ·
20 de dezembro de 2010 · 11 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) decidiu se manifestar sobre seus estudo a respeito do estaleiro OSX em Biguaçu, município continental próximo à Ilha de Santa Catarina. O empreendimento do Grupo EBX era apoiado por prefeitos da região, mas recebeu manifestações contrárias de chefes de unidades de conservação que seriam afetadas e despertou o interesse do Ministério Público Federal no processo. Em novembro, o OSX anunciou que se instalaria no litoral norte do estado do Rio. Fim da trama? Não. O procurador federal Eduardo Barragan notificou a presidência do ICMBio e pediu os estudos feitos na Baía de São Miguel e pediu, inclusive, provas de que os trabalhos, agora arquivados, foram realizados.

Na última sexta, em comunicado, o ICMBio disse ter arquivado o processo administrativo aberto para avaliação do impacto do empreendimento sobre as unidades de conservação. Também disse que não existe motivação para a manifestação formal do ICMBio sobre o empreendimento.

Mesmo assim, o órgão decidiu dar publicidade ao trabalho realizado pelo grupo de analistas que se debruçaram na hipótese de construção de um empreendimento de porte, como o estaleiro planejado. “Os estudos realizados pelo Instituto evidenciaram a fragilidade do ambiente marinho da Baía de São Miguel, em Biguaçú”, revela o comunicado.

Entre as razões para o impedimento de um estaleiro, destaca-se a pouca profundidade do canal, não superior a 1,80m, e ter como característica ser um ambiente com muita lama. “Esse ambiente é considerado fonte de alimentação e fornecimento de pescado para as populações de pescadores tradicionais e principal área de alimentação dos golfinhos (Sotalia guianensis), que são os atributos que motivaram a criação da APA do Anhatomirim”, descreve o comunicado. “Alterações no ambiente da Baía de São Miguel tendem a provocar impactos diretos sobre os golfinhos e o modo de vida dos pescadores tradicionais, impactos esses que dificilmente podem ser mitigados”, continua.

Na visão da direção do ICMBio, deve-se buscar um desenvolvimento econômico para a região associado à natureza frágil e especial dessa área. “A instalação do estaleiro OSX implicaria em alterações significativas para Baía de São Miguel, com correspondentes impactos, não mitigáveis, para a APA do Anhatomirim, o que impossibilitaria a sua autorização”, conclui. (Celso Calheiros)

Leia mais
Novo endereço para estaleiro Biguaçu
Estaleiro causa polêmica em SC

Leia também

Notícias
20 de maio de 2022

Alto custo é principal barreira para visitação de parques

De acordo com estudo, alto custo da viagem, distância e falta de informações disponíveis são os principais obstáculos para visitação de parques naturais

Notícias
20 de maio de 2022

Presidenciáveis recebem plano para reverter boiadas ambientais de Bolsonaro

Estratégia ‘Brasil 2045’ propõe medidas para reconstruir política ambiental brasileira e fazer país retomar posição de liderança global em meio ambiente

Análises
20 de maio de 2022

O dilema de Koniam-Bebê

Ocupação indígena no Parque Estadual Cunhambebe realimenta falsa dicotomia entre unidades de conservação e territórios indígenas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. Cássio Garcez diz:

    Brilhante análise, Beto. Parabéns e obrigado por ela.