Salada Verde

Campanha evita consumo de 5 bilhões de sacolas plásticas

Iniciativa liderada pelo Ministério do Meio Ambiente supera as expectativas e reduz 33% do total de sacolas utilizadas por grandes supermercados.

Redação ((o))eco ·
6 de janeiro de 2011 · 11 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Cinco BILHÕES de sacolas plásticas. Este é o número aproximado dos famosos ‘saquinhos’ que, segundo informações do Ministério do Meio Ambiente, deixaram de ser consumidos, graças a iniciativa “Saco é um Saco”, promovida pelo própria governo. O percentual de redução atingido (33%) foi bem maior que a expectativa inicial, que era de 10% do total de sacolas plásticas usadas por grandes supermercados.

As maiores redes de supermercado do pais (Walmart, Pão de Açúcar e Carrefour), que fizeram o levantamento do consumo, desenvolveram iniciativas para a substituição das sacolas para o transporte de mercadorias, como venda de ecobags, caixas de papelão e pontos em cartão de fidelidade para quem não utiliza o material plástico (que pode levar mais de 100 anos para a sua degradação no meio ambiente).

No Rio de Janeiro, a lei 5.502, de 15 de julho de 2009, dispõe sobre a substituição e recolhimento de sacolas plásticas em estabelecimentos comerciais localizados no Estado do Rio de Janeiro como forma de colocá-las à disposição do ciclo de reciclagem e proteção do meio ambiente fluminense. Microempresas tem 3 anos para substituir completamente o uso de sacolas plásticas, enquanto empresas de pequeno porte e demais entidades societárias possuem 2 anos e 1 ano, respectivamente, para a ação.

Interessante que, segundo o artigo 7º da mesma lei, “O Poder Executivo incentivará a Petrobrás e outras indústrias instaladas ou que vierem a se instalar, nos pólos de Gás Químico, em Duque de Caxias e no Complexo Petroquímico de Itaboraí – COMPERJ, ou em qualquer município do Estado, a buscar novas resinas derivadas da produção de petróleo ou composições químicas que levem a produção de novas sacolas não-poluentes (biodegradáveis).”, uma iniciativa ímpar do Estado do Rio de Janeiro no que dispõe a legislação ambiental em comparação a outros estados e até mesmo a União.

Em São Paulo, o prefeito Gilberto Kassab vetou, em 22/01/2010, o Projeto de Lei nº 577/07 (de autoria dos vereadores Claudinho de Souza e Gilson Barreto, do PSDB), que tornaria obrigatório a substituição das sacolas plásticas por materiais de fontes renováveis e ou recicláveis. Um novo projeto de lei (528/2009), do vereador Carlos Alberto Bezerra (PSDB) seria votado no dia 10/11/2010, mas a votação foi adiada. (Daniele Souza)

Leia também
A ingênua lei contra as sacolas plásticas

Leia também

Salada Verde
3 de dezembro de 2021

Paraná pretende reativar trecho brasileiro de trilha histórica que liga o Atlântico ao Pacífico

Chamada de Caminhos do Peabiru, trilha tem 1.550 no trecho paranaense, que vai de Paranaguá a Guaíra. Caminho era usado por incas e guaranis, antes da colonização

Notícias
3 de dezembro de 2021

Amapá vende terras públicas invadidas a R$ 46 o hectare

Estado possui mais de 2,5 milhões de hectares de áreas ainda não destinadas. Cerca de 50% deste total é classificado como de importância biológica extremamente alta

Reportagens
3 de dezembro de 2021

Novo Código de Mineração propõe aprovação automática de milhares de processos parados na ANM

Proposta pode afetar mais de 90 mil requerimentos que aguardam aprovações técnicas e ambientais; medida ainda interfere na criação de unidades de conservação e dificulta demarcação de terras indígenas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta