Salada Verde

Linhão do Tucuruí recebe licença de operação

Ibama deu sinal verde para o começo do  funcionamento da linha de transmissão que levará a energia de Tucuruí ao estado do Amazonas.

Redação ((o))eco ·
20 de março de 2013 · 9 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Acima, torre de transmissão entre Oriximiná e Engenheiro Lechuga corta a mata. Energia percorre quilômetros para abastecer Amazonas. Foto: Ana Blanc/Ibama/AP
Acima, torre de transmissão entre Oriximiná e Engenheiro Lechuga corta a mata. Energia percorre quilômetros para abastecer Amazonas. Foto: Ana Blanc/Ibama/AP

O Ibama concedeu ontem a Licença de Operação da linha de transmissão que interliga a Subestação de Energia Oriximiná, no estado do Pará, às subestações de Silves e Engenheiro Lechuga, no estado do Amazonas.  O linhão, administrado pela Concessionária Manaus Transmissora de Energia S. A., tem cerca de 558 quilômetros de extensão e faz parte da interligação elétrica que levará a energia produzida pela Usina de Tucuruí para o Amazonas.

A torre, situada no trecho entre as duas subestações, tem 62 metros de altura e pesa 24 toneladas.

Para viabilizar a construção dessa linha, o governo do Amazonas rebaixou a categoria da unidade de conservação Nhamundá, antes “Parque Estadual”, para “Área de Proteção Ambiental”, em 2011. Esta manobra foi necessária porque, sendo a UC de proteção integral, o empreendimento não poderia ser feito no local escolhido. Os detalhes da mudança de status da UC podem ser lidos na reportagem de Vandré Fonseca, publicados em 2011.

A reportagem de ((o))eco tentou, sem sucesso, entrar em contato com a Concessionária Manaus Transmissora de Energia S. A., mas não encontrou ninguém para confirmar se o traçado continua o mesmo ou mudou de 2011 para cá.

Leia também

Salada Verde
18 de janeiro de 2022

Em evento, Bolsonaro comemora redução de 80% das multas do Ibama

“Nós reduzimos em mais de 80% as multagens no campo”, disse o presidente, que creditou ao ex-ministro Salles e à ministra da Agricultura, Teresa Cristina, as boas medidas para o campo

Salada Verde
18 de janeiro de 2022

MPF se pronuncia contra decreto que permite destruição de qualquer caverna

Câmara de Meio Ambiente do Ministério Público Federal (4CCR) diz que norma desrespeita princípios constitucionais. Governo publicou decreto na semana passada

Reportagens
18 de janeiro de 2022

Uma oportunidade de recomeço para a Mata Atlântica

O bioma mais destruído do Brasil ganha uma nova chance com o avanço da agenda de restauração no país, mas ainda sofre com gargalos como a falta de sistematização de dados e de governança

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 2

  1. Nanda diz:

    1. Obrigado, Nanda! 🙂
      Fica ligada que essa é só a primeira reportagem do especial Mata Atlântica: novas histórias. Ainda vem muito mais por aí e você pode acompanhar na página do especial – https://oeco.org.br/especial/mataatlantica/
      Abs