Salada Verde

Linhão do Tucuruí recebe licença de operação

Ibama deu sinal verde para o começo do  funcionamento da linha de transmissão que levará a energia de Tucuruí ao estado do Amazonas.

Redação ((o))eco ·
20 de março de 2013 · 9 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Acima, torre de transmissão entre Oriximiná e Engenheiro Lechuga corta a mata. Energia percorre quilômetros para abastecer Amazonas. Foto: Ana Blanc/Ibama/AP
Acima, torre de transmissão entre Oriximiná e Engenheiro Lechuga corta a mata. Energia percorre quilômetros para abastecer Amazonas. Foto: Ana Blanc/Ibama/AP

O Ibama concedeu ontem a Licença de Operação da linha de transmissão que interliga a Subestação de Energia Oriximiná, no estado do Pará, às subestações de Silves e Engenheiro Lechuga, no estado do Amazonas.  O linhão, administrado pela Concessionária Manaus Transmissora de Energia S. A., tem cerca de 558 quilômetros de extensão e faz parte da interligação elétrica que levará a energia produzida pela Usina de Tucuruí para o Amazonas.

A torre, situada no trecho entre as duas subestações, tem 62 metros de altura e pesa 24 toneladas.

Para viabilizar a construção dessa linha, o governo do Amazonas rebaixou a categoria da unidade de conservação Nhamundá, antes “Parque Estadual”, para “Área de Proteção Ambiental”, em 2011. Esta manobra foi necessária porque, sendo a UC de proteção integral, o empreendimento não poderia ser feito no local escolhido. Os detalhes da mudança de status da UC podem ser lidos na reportagem de Vandré Fonseca, publicados em 2011.

A reportagem de ((o))eco tentou, sem sucesso, entrar em contato com a Concessionária Manaus Transmissora de Energia S. A., mas não encontrou ninguém para confirmar se o traçado continua o mesmo ou mudou de 2011 para cá.

Leia também

Reportagens
23 de junho de 2022

Preservar 80% da Amazônia custa 7 vezes menos do que Europa gasta com suas áreas de proteção

Segundo estudo, conservar 3,5 milhões de km² da floresta, área necessária para preservar suas funções ecológicas, custaria de 1,7 a 2,8 bilhões de dólares anuais

Reportagens
23 de junho de 2022

No meio do caminho tinha uma Unidade de Conservação

Levantamento inédito feito pelo CCCA, em parceria com ((o))eco, mostra ocupação de UCs em Rondônia como método para forçar redução ou reclassificação de áreas

Salada Verde
23 de junho de 2022

Podcast jornalístico “Amazônia Invisível, uma história real” estreia nesta quinta

A série contará com 10 episódios que trazem as diferentes vozes de quem vive na Amazônia, guiado pelo olhar da jovem ativista indígena Beka Munduruku

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta