Salada Verde

Câmara deve votar amanhã urgência no projeto que libera mineração em Terras Indígenas

Governo aproveita guerra na Ucrânia para aprovar o projeto sem discussão na Câmara dos Deputados. Líderes vão consultar as bases e decidirão nesta quarta-feira

Daniele Bragança ·
8 de março de 2022
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Os líderes de partido da Câmara dos Deputados vão se reunir com suas bancadas nesta quarta-feira (09) para decidir se aceitam votar de supetão já no plenário – sem passar por comissões e ter uma discussão mais ampla –, a proposta que libera mineração e garimpo em Terras Indígenas. O líder do governo da Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), anunciou no Twitter que a decisão será tomada amanhã. Se a Câmara aprovar que a tramitação ocorra em regime de urgência, o projeto pode ser votado no mesmo dia e já ir para o Senado. 

O governo tem pressa em aprovar a proposta, enviada ao Congresso em dezembro de 2019. Usa como desculpa a dependência do Brasil em relação ao potássio importado da Rússia, uma balela já desmentida… pelo próprio governo. 

O jornalista Maurício Angelo, do Observatório da Mineração, analisou dois estudos recentes, um feito pelo Serviço Geológico do Brasil e outro pela Secretaria Especial de Assuntos Estratégicos sobre fertilizantes e ambos não “citam em nenhum momento as reservas em terras indígenas como suposto impeditivo para o desenvolvimento da indústria de fertilizantes no Brasil”.

Na semana passada, o Conselho Indigenista Missionário (Cimi) afirmou, em nota, que o governo “utiliza a situação vivida na Europa para ampliar sua guerra particular contra os povos originários no Brasil”.

O PL 

Indígenas protestam contra a proposta do governo federal de legalizar a mineração em terras indígenas, em frente ao Palácio do Planalto, em Brasília, em 19 de abril de 2021. Foto: Evaristo Sa/AFP.

O projeto 191/2020 foi elaborado pelos Ministérios da Justiça e Segurança Pública e de Minas e Energia, sem participação de representantes indígenas, e regulamenta a exploração de recursos minerais (inclusive por garimpo), hídricos e orgânicos em reservas indígenas.

O projeto estabelece as condições específicas para a realização de pesquisa e exploração dos recursos naturais e regulamenta como se dará a indenização às comunidades indígenas cujos territórios receberem empreendimentos. Apesar do PL mencionar que irá ouvir as comunidades indígenas para realização de estudos e de exploração nas TIs, não fica estabelecido o mecanismo de consulta livre, prévia e informada — previsto pela Convenção 169 da Organização Internacional do Trabalho, tratado internacional ratificado pelo Brasil em 2004. Além disso, os indígenas só terão poder de veto em relação às atividades de garimpo. Quanto à exploração energética e mineração em escala industrial, não há previsão deste direito.

  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Notícias
4 de março de 2022

Sociedade civil repudia uso do conflito na Europa para liberar mineração em Terras Indígenas

Bolsonaro defendeu exploração de potássio em TIs, sob justificativa de que importação da Rússia cairá com a guerra. PL que trata do tema avança no Congresso

Reportagens
9 de fevereiro de 2020

Mineração em terras indígenas: a proposta do governo Bolsonaro em 10 perguntas e respostas

Projeto de Lei assinado na última quarta-feira era promessa de campanha de Bolsonaro. Vários setores da sociedade já manifestaram repúdio e partidos se articulam para barrar a proposta no Congresso

Salada Verde
16 de maio de 2022

((o))eco oferece curso gratuito de jornalismo ambiental para estudantes da Amazônia Legal

Participantes poderão concorrer a uma bolsa de 3 mil reais para produzir uma reportagem sobre a Amazônia

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta