Salada Verde

Governo admite que combate ao desmatamento está paralisado

Taxas de desmatamento pararam de cair no Brasil. Governo promete combater o desflorestamento nos biomas brasileiros.

Sabrina Rodrigues ·
16 de novembro de 2016 · 5 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Há quatro anos estamos sem redução na derrubada de árvores na Amazônia. Foto: Victor Camilo/Flickr
Há quatro anos estamos sem redução na derrubada de árvores na Amazônia. Foto: Victor Camilo/Flickr

Durante a Conferência do Clima da ONU em Marrakesh, no Marrocos, o governo brasileiro admitiu que o desmatamento parou de cair no Brasil, essa estagnação pode ser traduzida em quatro anos sem redução na derrubada de árvores na Amazônia. O próprio secretário de Mudanças Climáticas do Ministério do Meio Ambiente, Everton Lucero, reconhece que o desmatamento não está caindo como o esperado. Lucero afirma ainda que é preciso fortalecer medidas de comando e controle, e que o governo está empenhado em combater o desflorestamento nos demais biomas brasileiros, como o Cerrado. “Vamos em breve começar um sistema de monitoramento no Cerrado”, afirmou Everton Lucero. O secretário disse que esforços serão ampliados para o combate ao desmatamento ilegal e que o governo fará programas de compensação para repor áreas desmatadas dentro da lei.

Fonte original: Época

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Reportagens
13 de maio de 2022

Os Akroá-Gamella resistem e lutam por reconhecimento

Desde 2014, os gamella aguardam demarcação de suas terras e sofrem ataques violentos de fazendeiros da região, irritados pelo processo de retomada deste povo

Salada Verde
13 de maio de 2022

Advogado assume chefia da Superintendência do Ibama no Amapá

Ministro do Meio Ambiente nomeia advogado sem experiência na área ambiental para chefiar Ibama no Amapá. Superintendência estava sem chefe desde novembro

Notícias
13 de maio de 2022

Carlos Nobre é segundo brasileiro a ser eleito para Royal Society depois de Dom Pedro II

Cientista ingressa como Membro Estrangeiro por seu trabalho ligado aos estudos climáticos na Amazônia. Ele fará parte de rol que conta com nomes como Albert Einstein e Isaac Newton

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta