Salada Verde

STF marca julgamento sobre decreto que permite maior exploração de cavernas

O julgamento será realizado de forma virtual entre os dias 18 e 25 de fevereiro, período no qual cada ministro irá manifestar seu voto sobre o decreto que flexibiliza proteção das cavernas

Duda Menegassi ·
9 de fevereiro de 2022
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

O Supremo Tribunal Federal (STF) agendou o julgamento sobre a constitucionalidade do decreto presidencial que flexibilizou a proteção das cavernas no Brasil e permitiu impactos irreversíveis em cavernas de máxima relevância, intocadas pela legislação anterior. O julgamento será realizado de forma virtual, entre os dias 18 e 25 de fevereiro. Neste período, cada ministro irá manifestar seu voto na plataforma online do STF referente ao processo (ADPF 935 e 937).

No final de janeiro (24), o ministro Ricardo Lewandowski, relator do caso no Supremo, suspendeu parte do decreto nº 10.935/22, garantindo, de forma liminar, que as cavernas de máxima relevância e suas áreas de influência permaneçam fora do alcance de qualquer empreendimento até o final da plenária do STF.

Caso algum ministro peça vista do processo, a decisão pode ser adiada por tempo indeterminado – como já foi visto no julgamento sobre as mudanças no Conama – à revelia do prazo limite de 60 dias para devolver o processo, estipulado pelo regimento interno do próprio STF.

  • Duda Menegassi

    Jornalista ambiental especializada em unidades de conservação, montanhismo e divulgação científica. Escreve para ((o))eco des...

Leia também

Notícias
24 de janeiro de 2022

Lewandowski suspende decreto que tirou proteção das cavernas de máxima importância

Decisão do ministro do STF acata parcialmente pedido de medida cautelar protocolado pela Rede e pelo Partido Verde, que apontam inconstitucionalidade do decreto presidencial que removeu proteção das cavernas

Reportagens
13 de janeiro de 2022

Canetada de Bolsonaro retira proteção das cavernas mais importantes do Brasil

Novo decreto permite que as antes intocadas cavernas de máxima importância possam ser impactadas de forma irreversível por empreendimentos como a mineração

Salada Verde
18 de janeiro de 2022

MPF se pronuncia contra decreto que permite destruição de qualquer caverna

Câmara de Meio Ambiente do Ministério Público Federal (4CCR) diz que norma desrespeita princípios constitucionais. Governo publicou decreto na semana passada

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta