Colunas

Fiéis escudeiros – Mochilas

O que seria de nós sem nossas fiéis mochilas? De ataque, cargueiras, mistas ou de hidratação, os novos modelos são feitos para aliar conforto e praticidade.

9 de dezembro de 2005 · 16 anos atrás

    • Sistemas de ventilação: são telas, espumas e tecidos de alta tecnologia que possuem o objetivo de reduzir o contato da mochila com as costas ou ainda reduzir a temperatura mesmo em casos em que haja contato. Cada marca oferece uma série de dispositivos diferentes, ao gosto do cliente;

 

    • Distribuição de peso: as cargueiras estão ficando maiores e a sensação de esforço ao carregá-las cada vez mais sutil, devido aos sistemas criados para orientar o peso para o centro de gravidade de seu usuário, reduzindo o desconforto;

 

    • Mochilas para meninas: finalmente os fabricantes começaram a perceber que o corpo da mulher é diferente do homem, e com o crescimento do número de mulheres praticando esportes outdoor as mochilas estão ficando mais adaptadas. Possuem uma angulação diferente para a região lombar da mulher, barrigueira com ajustes menores e menor distância entre os ombros (alças);

 

    • Pequenos ajustes que fazem diferença: modelos que melhoram a movimentação da cabeça, estabilizadores (para as mãos) reguláveis, materiais mais duráveis, resistentes a água, abrasão, rasgos e impactos, sem perder a flexibilidade, leveza e conforto, além de ventilação e regulagem de altura.

Algumas marcas

Há marcas muito boas comercializadas no Brasil. Das internacionais, recomendo a Deuter (que possui os modelos mais leves do mercado), Lafuma e Ferrino. Já entre as nacionais, que são igualmente competitivas, recomendo Curtlo, Equinox (que oferece garantia de fabricação por toda a vida da mochila), Kailash e Conquista.

Como carregá-la?

Escolhida a mochila e a empreitada de inauguração do novo brinquedo, falta apenas saber carregá-la com os equipamentos. Coloque o saco de dormir no fundo e pequenos acessórios práticos (carteira, óculos, chaves, canivete) no bolso superior ou laterais. No centro da mochila, bem próximo às costas, coloque o conteúdo mais pesado. Ainda no meio da mochila, mas na parte mais externa, coloque o restante de equipamento de carga, mas não tão pesado.

Voilá! Agora é só curtir o passeio e usar e abusar da mochila. Afinal, elas ficam mais charmosas depois dos primeiros perrengues.

Agradecimento: Casa do Alpinista.

Leia também

Reportagens
30 de novembro de 2021

Há 8 anos na Câmara, projeto que cria uma lei para o mar ainda não tem votação à vista

Série de reportagens investiga motivos da longa tramitação do projeto de lei que institui a Política Nacional para Conservação e o Uso Sustentável do Bioma Marinho Brasileiro

Salada Verde
30 de novembro de 2021

Trilha Transmantiqueira ganha reconhecimento do Ministério do Meio Ambiente

A trilha de longo curso que cruza a Serra da Mantiqueira agora faz parte oficialmente do programa Rede Trilhas, para promover conectividade, conservação e turismo

Salada Verde
30 de novembro de 2021

Ibama abre concurso para contratar 568 servidores

Edital lançado nesta terça-feira (30) prevê a contratação de 136 analistas divididos por áreas temáticas e 432 técnicos ambientais

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta