Colunas

Eco-embrulhos para o seu natal

Colunista entra no espírito de fim de ano, mostra maneiras de dar presentes sem contribuir para o desperdício e indica sites que ensinam como embrulhar sem prejudicar o meio ambiente.

16 de dezembro de 2008 · 13 anos atrás

Para quem está procurando uma alternativa para reduzir a quantidade de papeis e caixas que jogamos fora nessa época do ano, aqui seguem algumas idéias para os embrulhos de natal.

É possível embrulhar seus presentes de maneira criativa e autêntica e sem gerar muito lixo. Você pode fazer o seu próprio papel reciclado, usando páginas de jornal, de revista, de revistas em quadrinhos, de catálogos, cartazes, mapas e folhetos publicitários. Esses papeis também podem ser usados para forrar uma caixa velha em que se queira colocar o presente.

Para quem tem filhos, usar os desenhos das crianças como papel de embrulho pode ser bem divertido.  

Você também pode fazer um embrulho temático de acordo com o presente. Por exemplo, se for um vaso de flores, procure gravuras com flores e jardins. Outra opção é procurar figuras com árvores ou decoração de natal; para um olhar diferente, tente encontrar documentos estrangeiros; caso queira dar um toque a mais ao presente, acrescente um enfeite usando selos, flores, laços, negativos de fotos, adesivos, cartões, fotos, postais ou qualquer outro objeto decorativo.

Para os mais criativos, no site Eco-Artware onde a designer Anna Rosenlund ensina a produzir uma caixa usando caixas vazias de cereal.

Uma opção mais simples é usar sacolas antigas que vem guardando ao longo do ano, tapando a marca da loja com um adesivo ou uma gravura, para embalar os presentes.  

Outra idéia, ainda, é embrulhar os presentes em materiais que também possam ser utilizados. Ou seja, 2 presentes em 1, sucesso na certa. A japonesa Furoshiki ensina várias idéias divertidas e simples de como fazer um belo embrulho usando toalha de mesa, echarpe, pashimina ou qualquer pedaço de tecido.

Para amarrar o embrulho use fitas ou barbantes, coloridos de preferência, ou até mesmo fita métrica velha. Se você ainda tiver fitas cassetes ou VHS e sabe que nunca mais vai escutá-las ou assisti-las, usar a fita para amarrar também pode ser uma opção. Para ser ainda mais criativo, pegue uma tesoura afiada e corra a fita ao longo da lâmina para dar aquele movimento crespo no laço de fita.  

Foto: Ana Claudia Salles
Foto: Ana Claudia Salles

E aproveite para já guardar os restos desse ano para o natal do ano que vem. Uma idéia é estipular na casa um local em que todos possam depositar os papeis e as caixas após abrirem seus presentes. Para guardar os papeis e esticá-los, enrole-os em tubos.

Uma outra dica que também pode ser divertida e agradar a criançada é fazer a sua própria árvore de natal com garrafas PET. Como enfeites podem ser usados recortes de revistas, figurinhas, bonequinhos, ou até mesmo tampinhas de garrafa, potes de iogurte ou qualquer outra sucata. É diversão na certa para as crianças que adoram corte e colagem.  

Usando a criatividade desta maneira é divertido e econômico. Que tal tentarmos algumas dessas idéias e ver se é possível iniciar uma tendência na família e entre os amigos para os próximos anos?

Quem tiver outras idéias não deixe de postar nos comentários para compartilhar com os outros leitores. Vamos ajudar a divulgar essa idéia!

Um feliz natal ambientalmente mais consciente para todos!

Leia também

Notícias
26 de novembro de 2021

Informação obtida via LAI revela que MCTI recebeu dados do desmatamento em 1º de novembro

Ministro Marcos Pontes disse que dados não foram publicados antes da Conferência do Clima porque ele estava de férias. Agenda oficial registra férias entre 8 e 19 de novembro

Notícias
26 de novembro de 2021

Jornalismo digital brasileiro se une em campanha de financiamento

Ação reúne 26 organizações com objetivo de arrecadar doações para fortalecimento do jornalismo digital de qualidade

Reportagens
26 de novembro de 2021

MPF pede anulação da Licença de Instalação do Linhão Tucuruí na terra Waimiri Atroari

Ação aponta que União e a Transnorte agem ilegalmente no licenciamento da obra. Autossuficientes em energia elétrica, os Waimiri Atroari são contra o empreendimento e sentem “a floresta sangrar”

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta