Colunas

“Não temos mais tempo” é o recado de Txai Paiter Suruí na abertura da COP-26

Jovem indígena foi a única brasileira a discursar no palco principal da Conferência do Clima nesta segunda-feira (01). “A Terra está falando. Ela nos diz que não temos mais tempo”, disse

1 de novembro de 2021
  • Engajamundo

    Acreditamos que se mudarmos a nós mesmos, o nosso entorno e nos engajarmos politicamente, podemos transformar as nossas realidades

  • Giselli Cavalcanti

    Ativista climática, psicóloga ambiental e mobilizadora de campanhas na defesa de causas socioambientais.

Txai Paiter Suruí foi a única indígena e única brasileira a discursar nesta segunda-feira (01) no palco principal do World Leaders Summit, na Conferência do Clima (COP-26), em Glasgow, no Reino Unido. A jovem, de 24 anos, é ativista do povo Paiter Suruí e integrante da delegação de jovens do Engajamundo, organização que estará presente com 13 jovens nesta Conferência. 

Durante seu discurso, Txai Suruí teve como plateia líderes globais como o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, o presidente dos EUA, Joe Biden, e o embaixador brasileiro Paulino Franco de Carvalho Neto, integrante da delegação oficial do Brasil. Txai aproveitou esta audiência de alto nível para reforçar a necessidade urgente de compromissos concretos e ambiciosos. “Precisamos tomar outro caminho com mudanças corajosas e globais. Não é 2030 ou 2050, é agora”, disse a jovem. 

A luta pela justiça climática também esteve fortemente presente no discurso de Txai, que trouxe a necessidade não apenas de que a agenda climática inclua a pauta indígena mas, principalmente, que os povos indígenas possam estar presentes e efetivamente participando dos espaços de tomada de decisão. “Os povos indígenas estão na linha de frente da emergência climática, por isso devemos estar nos centros das decisões que acontecem aqui”, afirma. No Brasil, quarto país que mais mata ambientalistas no mundo, Txai lembrou ainda de Ari Uru-Eu-Wau-Wau, seu amigo de infância e guardião, que aos 32 anos foi assassinado por proteger a floresta – em um caso que hoje, mais de um ano depois, segue sem respostas

“A Terra está falando. Ela nos diz que não temos mais tempo”. No maior espaço internacional sobre a crise climática, que tem o potencial de influenciar os rumos da história da humanidade neste grande desafio, Txai Suruí reforça que para as juventudes e os povos indígenas a ação climática não é um plano para o futuro – construir um mundo mais justo no enfrentamento à crise climática é um projeto do presente. 

Confira o discurso completo e legendado no perfil do Mídia Índia:

Leia também

Colunas
30 de agosto de 2021

A pauta climática e suas negociações precisam ser sobre as pessoas

O que esperar da COP26 e por que a presença da sociedade civil neste espaço pode ser mais importante do que nunca

Colunas
2 de junho de 2021

Por que a crise climática também é uma pauta das juventudes

Um olhar para além da ideia da geração do “amanhã”

Notícias
1 de novembro de 2021

Boletim: “Esse anúncio [das metas brasileiras] representa empate com o passado”, diz Márcio Astrini

Para o Secretário Executivo do Observatório do Clima, o anúncio feito pelo governo brasileiro na COP 26 é retrato de um país que corre para se encontrar com o passado

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta