Fotografia

Texturas e imensidões do Parque de Três Picos

Algumas das mais belas montanhas fluminenses e o ponto culminante da Serra do Mar ficam nessa região, que virou meca de escaladores.

Redação ((o))eco ·
22 de fevereiro de 2013 · 9 anos atrás
Vista panorâmica dos três picos com o Capacete ao centro. Fotos: Marcio Isensee (Clique para ampliar)
Vista panorâmica dos três picos com o Capacete ao centro. Fotos: Marcio Isensee (Clique para ampliar)

Nada como um bom Carnaval para se refugiar da vida urbana em meio a exuberantes paisagens. Com tempo e espaço para admirar e refletir, nasceu este ensaio fotográfico mostrando um pouco do Parque Estadual dos Três Picos.

Criado em 2002, este é o maior parque do estado do Rio de Janeiro. De acordo com INEA, o Três Picos tem 58,8 mil hectares, abrangendo terras de 5 diferentes municípios (Cachoeiras de Macacu, Nova Friburgo, Teresópolis, Silva Jardim e Guapimirim). O Parque faz parte do Mosaico Central Fluminense e forma um contínuo florestal com o Parque Nacional da Serra dos Órgãos e com a Estação Ecológica Estadual do Paraíso, o que aumenta a sua importância como refúgio para inúmeras espécies da fauna e da flora. Dos três cumes que o nomeiam, o chamado Pico Maior é considerado o ponto culminante da Serra do Mar, com 2.316m.

Já no caminho de ida, pegando a estrada Nova Friburgo-São Lourenço, avistávamos as montanhas que dão nome ao parque: três imponentes picos rochosos. Passávamos por incontáveis propriedades rurais destinadas à agricultura e na estrada caminhões transportavam a produção. Pensei sobre as pressões que o Parque sofre, nesta que é a principal região produtora de verduras e legumes do estado do Rio de Janeiro. Mas parei por aí minha análise, pois já subíamos uma estradinha de terra com muitas pedras que exigiam minha atenção ao volante.

Clique para ampliar o mapa.
Clique para ampliar o mapa.

Justamente pela grande quantidade de montanhas, pedras e paredes, o parque se tornou um dos destinos preferidos de escaladores e montanhistas. Os primeiros escaladores a alcançarem o cume do Pico Maior foram Indio Luz do Brasil, Sílvio Mendes e Reinaldo dos Santos, em 1946. Em 1970, Waldinar dos Santos, Waldemar Guimarães, José Garrido e Guilherme Ribeiro conquistaram a via leste do Pico Maior, que, até 2000, foi a maior via do Brasil, e também uma das mais belas.

Foi de frente para a face Leste do Pico Maior que acampamos, no Abrigo República Três Picos. O primeiro amanhecer, com a luz baixa do sol batendo diretamente nas montanhas, mostrava formas, cores e contrastes dos Três Picos.

A inspiração surgia dessas vistas: para onde olhasse, a natureza me brindava com texturas.

E conforme os dias passaram, mais e mais ângulos, luzes e instantes me confirmaram: Nada de cores. Este lugar mágico é um lugar de texturas, de planos, de imensidões.

 

 

Leia também

Análises
27 de janeiro de 2022

Um lugar para as onças da Mata Atlântica na Década da Restauração

A Mata Atlântica é um pacote completo, com onças e tudo; é preciso urgentemente nos conscientizarmos que uma floresta sem bichos não tem futuro

Colunas
26 de janeiro de 2022

O que você levaria se tivesse que abandonar sua casa em 1 minuto?

Migração forçada por causa de fatores climáticos serão cada vez mais frequentes e atingirão mais pessoas. É preciso focar em políticas públicas para mitigar seus impactos

Reportagens
26 de janeiro de 2022

Especialistas criticam medidas de curto prazo adotadas contra a estiagem no Rio Grande do Sul

Governo estadual e representantes do agronegócio pedem recursos para cobertura de prejuízos, abertura acelerada de poços artesianos e até barramentos em áreas de preservação permanente

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta