Notícias

Comida radioativa

Ativistas do Greenpeace protestaram sobre os perigos da energia nuclear durante evento sobre o programa nuclear brasileiro no Rio de Janeiro.

·
29 de abril de 2011 · 11 anos atrás
Crédito: Juan Villas
Crédito: Juan Villas
Um protesto no mínimo curioso foi feito esta semana no Rio de Janeiro por integrantes do Greenpeace.

Na quarta-feira, dia 27, o presidente da Eletrobras Eletronuclear, Othon Luiz Pinheiro da Silva, ofereceu um almoço-palestra a executivos no Rio de Janeiro para promover os benefícios do programa nuclear brasileiro, mas ativistas do Greenpeace resolveram acrescentar alguns pratos no evento: uma bandeja com peixes (simbolizando a contaminação das águas de Fukushima) e batatas (simbolizando os solos de Chernobyl), ícones de acidentes nucleares, foram servidos por um manifestante vestido de cozinheiro.

Na porta do Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (IBEF), os participantes eram recebidos com a bandeja com os alimentos e ativistas portavam cartazes advertindo sobre os possíveis efeitos do consumo de alimentos contaminados como diarréia e impotência. Houve costrangimentos entre os participantes do evento “A razão de se explorar energia nuclear e o aprendizado  adquirido com os recentes incidentes no Japão”.

Othon Luiz Pinheiro da Silva não apareceu na porta para degustar o cardápio.

Pedro Torres, da Campanha de Clima e Energia do Greenpeace, considera o encontro para promover a energia nuclear Brasil uma “atitude arrogante, insensível e completamente descabida”.  

“Em um momento dramático para o mundo, em que o aniversário de 25 anos do acidente nuclear de Chernobyl, na Ucrânia, divide a atenção com outro sério desastre, de igual proporção, em Fukushima, no Japão, o presidente da Eletronuclear promove encontro para fazer lobby com empresários em favor de uma energia perigosa para o Brasil”, diz.
A despeito do acidente no Japão e das medidas de precaução adotadas em outros países depois de Fukushima, a Eletronuclear ja declarou que os planos para a construção de quatro novas usinas nucleares no Brasil serão mantidos.

Saiba mais

Reatores no nordeste Reatores no Nordeste: o pós-Fukushima

Leia também

Notícias
26 de novembro de 2021

Informação obtida via LAI revela que MCTI recebeu dados do desmatamento em 1º de novembro

Ministro Marcos Pontes disse que dados não foram publicados antes da Conferência do Clima porque ele estava de férias. Agenda oficial registra férias entre 8 e 19 de novembro

Notícias
26 de novembro de 2021

Jornalismo digital brasileiro se une em campanha de financiamento

Ação reúne 26 organizações com objetivo de arrecadar doações para fortalecimento do jornalismo digital de qualidade

Reportagens
26 de novembro de 2021

MPF pede anulação da Licença de Instalação do Linhão Tucuruí na terra Waimiri Atroari

Ação aponta que União e a Transnorte agem ilegalmente no licenciamento da obra. Autossuficientes em energia elétrica, os Waimiri Atroari são contra o empreendimento e sentem “a floresta sangrar”

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta