Notícias

Radar da Nasa mostra o interior de frentes frias e quentes

Imagens inéditas para os cientistas revelam o comportamento das massas de ar e ajudam a melhorar a capacidade de previsão do tempo.

Flávia Moraes ·
20 de maio de 2011 · 11 anos atrás
Legenda: Imagens do radar Cloudsat, lançado ao espaço em abril de 2006, mostram o comportamento das frentes frias e quentes. Crédito: Imagem criada por Jesse Allen, da Nasa, usando dados do Cloudsat.
Legenda: Imagens do radar Cloudsat, lançado ao espaço em abril de 2006, mostram o comportamento das frentes frias e quentes. Crédito: Imagem criada por Jesse Allen, da Nasa, usando dados do Cloudsat.
Para quem vive fora das zonas tropicais, as frentes são eventos bastante comuns, que influenciam diretamente o tempo e, muitas vezes, são responsáveis pelas chuvas. Nesses locais, as previsões do tempo partem da compreensão do que acontece quando se forma uma frente, ou seja, quando uma massa de ar quente avança em direção a uma massa de ar frio ou vice-e-versa.

No entanto, é a primeira vez que os cientistas obtém uma visão tão detalhada desse fenômeno. A Nasa divulgou imagens feitas pelo radar Cloudsat e criou um quadro comparando com as imagens de modelos computacionais. O radar descortinou a estrutura das nuvens e da faixa de precipitação, possibilitando aos pesquisadores visualizar o comportamento das frentes e, assim, melhorar sua capacidade de previsão.

O par de imagens da esquerda mostra o comportamento da frente fria. Da esquerda para a direita, há deslocamento de uma massa de ar frio em direção a uma massa de ar quente. O ar frio, mais denso, empurra o ar quente para cima, formando uma rampa abrupta (linha branca) e uma área de mau tempo mais estreita do que na frente quente. A ascendência do ar quente e úmido proporciona a formação de nuves do tipo cumulonimbus, que resultam em pancadas de chuva, de moderada a forte, além de trovoadas. Quando a massa de ar é seca, a tempestade gera apenas ventos fortes.

As duas imagens da direita, correspondem a uma frente quente. Nesse caso, a massa de ar quente está avançando, da esquerda para a direita, em direção ao ar frio. Como o ar quente é menos denso, a frente eleva-se gradualmente sobre a massa de ar frio, formando uma rampa de menor inclinação (linha branca). Sua área de mau tempo é, assim, mais extensa que a da frente fria, mas menos rigorosa. A nebulosidade formada, do tipo cirrus e stratus, ocasiona chuvas leves, do tipo garoa, contínua ou intermitente.

{iarelatednews articleid=”24986,24887,24422,24746″}

 

  • Flávia Moraes

    Jornalista, geógrafa e pesquisadora especializada em climatologia.

Leia também

Notícias
26 de maio de 2022

Conexão de trilhas e pessoas embala 1º Congresso Brasileiro de Trilhas

Evento que começou nesta quarta (25) e se estende até domingo, em Goiânia, conta com mais de 1.500 inscritos para discutir e fomentar a implementação de trilhas no Brasil

Salada Verde
26 de maio de 2022

A proposta de restaurar 900 campos de futebol de Mata Atlântica em dois anos

Projeto teve início no primeiro semestre de 2022 e seguirá até dezembro de 2023, com a proposta de restaurar 886.3 hectares de vegetação, sendo 720.8 em áreas de RPPNs e 165.5 em regiões do entorno

Reportagens
26 de maio de 2022

Melhorar planejamento e licenciamento reduziria impactos ferroviários à fauna

Mortandade de animais pode crescer com projetados 50 mil quilômetros de novas linhas para escoar produtos agropecuários e minerais, inclusive pela Amazônia

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta