Notícias

Deter divulga números de desmate entre novembro e dezembro

De acordo com Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), 207,59 km² foram desmatados na Amazônia Legal nos últimos  meses de 2011. 

Karina Miotto ·
3 de fevereiro de 2012 · 11 anos atrás

 

Mapa de alertas de novembro, quando 47% da área da Amazônia Legal permaneceu encoberta pelas nuvens. (Crédito: Inpe)
Mapa de alertas de novembro, quando 47% da área da Amazônia Legal permaneceu encoberta pelas nuvens. (Crédito: Inpe)

Entre novembro e dezembro, 207,59 km² foram desmatados na Amazônia de acordo com dados do sistema Deter, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Os dados têm margem de erro devido à grande incidência de nuvens na região durante esta época do ano – apenas cerca de 50% da Amazônia Legal foi monitorada nestes dois meses, conforme informações do instituto.

Em novembro, quando o desmate atingiu 133 km², os Estados que mais derrubaram a floresta foram Pará (43,37 km²), Mato Grosso (37,49 km²) e Amazonas (17,86 km²). Em dezembro, com total de 74,59 km² desmatados, os maiores desmatadores foram Roraima (23,88 km²), seguido de Mato Grosso (16,32 km²) e Pará (15,19 km²).

Em outubro, o desmatamento verificado pelo Deter na Amazônia Legal foi de 385.56 km2. No entanto, a maior média foi verificada em abril, com 477.42 km2. Para saber os dados de 2011, mês a mês, clique aqui. De acordo com o Inpe, “os alertas produzidos pelo Deter servem para orientar a fiscalização e garantir ações eficazes de controle da derrubada da floresta”. O sistema detecta polígonos de desmatamento em áreas acima de 25 hectares.

Leia também:
Desmatamento cresce na Amazônia Legal

* Texto atualizado às 17h28. 

Leia também

Salada Verde
16 de agosto de 2022

Brasil volta às urnas sem a opção de “candidatura verde” em 2022

A lacuna de candidaturas ligadas às propostas ambientais ocorre mesmo com a pauta do meio ambiente sendo uma das mais debatidas pela sociedade

Notícias
16 de agosto de 2022

Alvo de imbróglio jurídico, Parque Cristalino II perde quase 900 hectares em queimada ilegal

Ainda não é possível dizer se incêndio foi intencional, mas organizações alertam para “coincidência” entre fato e decisão da justiça pela extinção da unidade

Reportagens
16 de agosto de 2022

Plantio indiscriminado de árvores descaracteriza savanas em vez de restaurá-las, alertam cientistas

Em edição especial da revista Science, pesquisadores argumentam que a recuperação de áreas degradadas de Savana requer soluções mais complexas, e que considerem as especificidades do bioma

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta