Notícias

Fundo Amazônia financiará monitoramento da floresta fora do Brasil

A Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA) receberá R$ 23 milhões do Fundo Amazônia para o monitoramento do desmatamento na floresta, através do BNDES.

Giovanny Vera ·
14 de maio de 2013 · 11 anos atrás
Brasil quer transferir tecnologia de monitoração do desmatamento. Foto: Leonardo F. Freitas
Brasil quer transferir tecnologia de monitoração do desmatamento. Foto: Leonardo F. Freitas

O Fundo Amazônia aprovou o fomento de R$ 23 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Sustentável (BNDES) do Brasil à Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA), para o monitoramento da Amazônia. A decisão ocorreu no dia 3 de maio.

O objetivo é “contribuir para o desenvolvimento da capacidade de monitoramento do desmatamento, das mudanças de uso da terra e do aproveitamento florestal nos países membros da OTCA”, como a Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana, Peru, Suriname e Venezuela, declarou o BNDES em nota divulgada em seu site.

O investimento também será usado para a transferência de tecnologias criadas e usadas no Brasil, como o Programa de Cálculo do Desflorestamento da Amazônia (Prodes) e Detecção do Desmatamento na Amazônia Legal em Tempo Real (Deter).

Carlos Klink, secretário de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental, em um comunicado do Ministério de Meio Ambiente explicou que “o monitoramento da floresta vem sendo fortalecido com anos e anos de experiência reconhecida internacionalmente e agora nosso papel é trabalhar em conjunto com outras nações para que o trabalho ganhe escala”.

A importância da aplicação das tecnologias de ponta brasileiras na luta contra o desmatamento em outros países através da OTCA promoverá a conservação de toda a floresta. “Não adianta somente preservar a área brasileira, é preciso ampliar o sucesso que temos na redução ao desmatamento e emissões de carbono para que esses países também possam melhorar seus sistemas de monitoramento”, disse Klink.

A chefe do Departamento de Gestão do Fundo Amazônia no BNDES, Cláudia Costa, destaca que esta é a primeira iniciativa internacional do Fundo Amazônia. “Como o Brasil já conta com grande investimento em pesquisa, poderemos compartilhar esse investimento adquirido, reforçando o combate ao desmatamento no bioma como um todo”, concluiu Cláudia.

  • Giovanny Vera

    Giovanny Vera é apaixonado pela área socioambiental. Especializado em geojornalismo e jornalismo de dados, relata sobre a Pan-Amazônia.

Leia também

Notícias
23 de maio de 2024

Governo finaliza processo de concessão do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães

Concessão tem prazo de 30 anos e é voltada para prestação de serviços públicos de apoio aos serviços turísticos da unidade. Valor inicial dos ingressos será de R$ 30

Notícias
22 de maio de 2024

Desmatamento na Mata Atlântica caiu 27% em 2023, mas encraves em outros biomas preocupam

Segundo dados da SOS Mata Atlântica, desmatamento em florestas maduras foi de 14.697 hectares; derrubadas em encraves no Cerrado e na Caatinga superou 69 mil hectares

Salada Verde
22 de maio de 2024

No dia da Biodiversidade, ICMBio cria quatro unidades de conservação privadas

RPPNs estão inseridas em três diferentes biomas, em área somada de cerca de 500 hectares. RPPNs de todo Brasil protegem cerca de 800 mil hectares

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.