Notícias

Visite unidades de conservação sem sair de casa

Park View, fruto de parceria entre ICMBio e a Google, vai permitir o tour virtual de parques e reservas administrado pela autarquia.

Redação ((o))eco ·
19 de julho de 2013 · 8 anos atrás
Equipamento do Google Street View em barco no Rio Negro, na Amazônia. Foto: Google.
Equipamento do Google Street View em barco no Rio Negro, na Amazônia. Foto: Google.

As belezas das Cachoeiras do Parque Nacional do Iguaçu e das as trilhas do Parque Serra da Canastra sem sair de casa: graças à parceria entre o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e a Google no Brasil, o Projeto Park View torna esses passeios possíveis. O acordo foi assinado pelo presidente do ICMBio, Roberto Vizentin, e a representante do Google no Brasil, Mariana Macário.

Lançado na quarta-feira (17), em comemoração ao Dia de Proteção das Florestas, o projeto terá duração de três anos, podendo ser prorrogado por mais três. O cronograma das coletas das imagens será definido na próxima semana.

A representante do Google destacou a importância do projeto para as duas instituições. “No caso do ICMBio, a conservação da biodiversidade por meio da gestão do conhecimento, da educação ambiental e do fomento ao manejo ecológico; e, no caso do Google, de criar um mapa do mundo, abrangente, preciso e útil para os usuários”, disse Macário.

Os técnicos da Google usarão equipamentos eletrônicos, adaptados a uma mochila, triciclo ou mesmo barco, para captar as imagens. Assim, será possível ter acesso às áreas remotas das unidades, aonde carros não chegam.

A ideia é que o internauta poderá fazer um passeio de 360º, com zoom ao nível das trilhas. A primeira Unidade de Conservação que participará do projeto é o Parque Nacional do Iguaçu, no Paraná. O tour virtual pode funcionar como ferramenta para ajudar as pessoas a planejar visitas às unidades ou a conhecer locais que talvez não possam visitar.

Unidades de Conservação incluídas na primeira fase do Park View

Parques nacionais do Iguaçu (PR), do Jaú (AM), de Anavilhanas (AM), do Pantanal Matogrossense (MT), de Fernando de Noronha (PE), do Monte Pascoal (BA), da Chapada dos Veadeiros (GO), das Emas (GO), do Superagui (PR), da Tijuca (RJ), da Bocaina (SP), da Serra da Canastra (MG), da Chapada dos Guimarães (MT), da Serra da Capivara (PI), da Serra do Cipó (MG), da Serra Geral (RS), de Aparados da Serra (RS), de Sete Cidades (PI), de Jericoacoara (CE), de Ubajara (CE), Itatiaia (RJ), dos Lençóis Maranhenses (MA), de Abrolhos (BA), da Serra dos Órgãos (RJ), da Chapada Diamantina (BA) e da Restinga de Jurubatiba (RJ); as reservas biológicas do Atol das Rocas (RN) e de Sooretama (ES); a Estação Ecológica Guaraqueçaba (PR); e a Floresta Nacional de Tapajós (PA).

 

Leia também

Notícias
23 de julho de 2012

Um safari fotográfico pela África sem sair de casa

Sobrevoe a África usando o Google Earth e veja fotos incríveis de elefantes, hipopótamos, búfalos e outros animais selvagens em seu habitat natural.

Notícias
5 de dezembro de 2010

Google Earth:monitoramento em tempo real

Novo sistema permite processamento de bancos de dados em segundos e deve ajudar no combate ao desmatamento.

Notícias
20 de outubro de 2021

Desmatamento na Amazônia já chega a quase 9 mil km² em 2021, mostra Imazon

Somente em setembro foram destruídos 1.224 km² de floresta, área equivalente a mais de 4 mil campos de futebol por dia. Números sãos os maiores em 10 anos

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta