Notícias

O tamanduá-bandeira pode ter retornado ao Rio Grande do Sul

Um animal adulto foi filmado em área protegida no extremo oeste do estado, junto às fronteiras com o Uruguai e a Argentina

Aldem Bourscheit ·
4 de janeiro de 2024

A lista de animais que apareceram após tidos como extintos tem mais um ilustre representante. Um tamanduá-bandeira foi filmado no Parque do Espinilho, no oeste do Rio Grande do Sul, onde não aparecia há 130 anos.

O flagra aconteceu em junho deste ano, graças a câmeras automáticas instaladas por ambientalistas que buscavam outros animais silvestres na unidade estadual de conservação. 

Um dos responsáveis pelo registro, Fábio Mazim avalia que o animal tenha chegado ao estado sulista graças a um trabalho de reintrodução da espécie feito pela Fundação Rewilding na região dos Esteros del Iberá, na Argentina. 

“Esses animais estão adentrando o Rio Grande do Sul. No Uruguai, o tamanduá também já tinha sido extinto no mesmo período em que isso aconteceu aqui no Pampa brasileiro”, conta o zoólogo. 

Outras imagens da espécie foram feitas na reserva, de julho a setembro. Mas, não foi possível afirmar se era o mesmo ou outro tamanduá. “A única certeza é de que há ao menos um novo inquilino no parque”, diz o governo gaúcho.

Um animal filmado em setembro no P.E. do Espinilho. Vídeo: Governo do RS / Divulgação.

Mamífero nativo da América do Sul, a espécie (Myrmecophaga tridactyla) ganhou a alcunha porque sua cauda parece uma bandeira. Ela se alimenta de insetos, espalha nutrientes e aduba o solo das regiões onde ainda vive.

Sua redescoberta no estado mostra a importância das unidades de conservação para a biodiversidade e pesquisas. O feito será publicado num artigo científico, assinado por especialistas do Brasil, Argentina e Uruguai. 

O Parque do Espinilho foi criado em 1975 e ampliado em 2002. Seus 1.617 ha estão no município de Quaraí, a 600 km de Porto Alegre. A vegetação é marcada por espécies singulares como o espinilho, o algarrobo e o inhanduvá. 

Com informações do Governo do Rio Grande do Sul.

  • Aldem Bourscheit

    Jornalista cobrindo histórias sobre Conservação da Natureza, Crimes contra a Vida Selvagem, Ciência, Comunidades Indígenas e ...

Leia também

Salada Verde
10 de outubro de 2023

A dramática situação de dois sapos sulistas

Animais raros vivem em área ameaçada por agrotóxicos e numa reserva concedida para uso público demandada por indígenas

Reportagens
23 de agosto de 2023

O gato fantasma do Pampa: o felino mais ameaçado do mundo

Pesquisadores tentam monitorar o raro e ameaçado gato-palheiro-dos-pampas e construir estratégias para salvá-lo da extinção. Restam menos de 50 indivíduos na natureza

Reportagens
16 de janeiro de 2018

Pesquisa investiga como a fama de mau agouro afeta o tamanduá-bandeira

Estudo feito no Mato Grosso do Sul avalia como a crença em superstições ameaça a conservação da espécie. Mortandade intencional é alta

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Comentários 1

  1. Alex Sander Derzette diz:

    Existe contradições referentes a extinção dele no estado, lembro de qdo era criança, existia no galpão do meu avô, interior de Santana da Boa Vista, um couro de tamanduá bandeira, que ele referia ter matado final década de 60, início década de 70,quando em sua defesa atacava seus cães. Tanto galpão,couro e meu avô já não existem mais,nem a fazenda pertence mais aos herdeiros.