Notícias

Presidente do Ibama libera terras indígenas embargadas em Mato Grosso

Indígenas arrendam terra para produtores rurais, algo não permitido pela legislação ambiental. Além da liberação, Eduardo Bim decidiu concentrar quarenta e sete processos que envolvem cinco territórios indígenas

Sabrina Rodrigues ·
1 de outubro de 2019 · 3 anos atrás
Governo vem sofrendo pressão para liberar o arrendamento para plantio de milho e soja em terras indígenas. Foto: Marilze Venturelli Bernardo/Flickr.

O presidente do Ibama, Eduardo Fortunato Bim, desembargou 22 mil hectares de terras indígenas e concentrou sob seu poder todos os processos que envolvem cinco terras indígenas – Rio Formoso, Paresi, Utiariti, Tirecatinga e Irantxe, no Estado do Mato Grosso. O despacho com autorização foi assinado no dia 26 de setembro. 

As terras em questão são alvo de pressão tanto de ruralistas quanto de indígenas que querem a regularização do arrendamento para a produção de soja e milho em larga escala. 

O despacho de Bim representa um recuo de R$ 2,7 milhões em multa que o Ibama aplicou em 2018 contra produtores rurais e associações indígenas por plantio de soja e milho transgênicos, uma vez que a lei 11.460 de 2007 veda o plantio e o cultivo de organismos geneticamente modificados nas terras indígenas e áreas de unidades de conservação.

No documento, Eduardo Bim concentra para si a decisão sobre os processos em relação à questão das cinco terras indígenas, sob a justificativa que os quarenta e sete processos administrativos sobre a questão precisam de uma atuação uniforme por parte do órgão. As 47 multas aplicadas pelo Ibama estão relacionadas a crimes ambientais  e não à questão das parcerias, até porque foge à alçada do órgão federal.

Ministro do Meio Ambiente visitou área embargada pelo Ibama

Ricardo Salles visita uma aldeia Pareci, em Campo Novo do Parecis (MT), em fevereiro. Foi a primeira visita do ministro à Amazônia. Foto: Reprodução/Instagram.

Em sua primeira viagem à Amazônia, fevereiro deste ano, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, visitou a Terra Indígena (TI) Utiariti, embargado pelo Ibama em junho de 2018. Salles viajou junto com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina. Na ocasião, o ministro defendeu o arrendamento de terras indígenas: “O que nós visitamos foi uma demonstração de como os povos indígenas querem se incorporar a atividades que lhes tragam uma melhoria de qualidade, que tragam recursos, e de certa forma são boicotados por uma mentalidade que quer deixar o índio na idade da pedra”, declarou o ministro.

O posicionamento de Salles quanto a questão do arrendamento contraria à do Ministério Público Federal (MPF) e do Ibama, que embargou a TI   Utiariti com base na Lei 9.605, de 1998 (Lei de Crimes Ambientais), que proíbe qualquer atividade ou comercialização até que haja um acordo entre os infratores e instituições do estado.

“Terra indígena não é unidade de conservação”

No despacho, Bim minimiza as atividades de plantio de transgênicos nas terras embargadas. “Não ficou claro nas autuações a razão pela qual existe diferença de valor entre índios e não índios, já que se tratava de parceria que contava inclusive com o aval da Funai. Essa diferença de valor pode implicar tratamento discriminatório, o que é vedado pela nossa Constituição, que preceitua que “todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza (art. 5º, caput)”, afirma Eduardo Bim no documento. 

Ainda em sua fundamentação, Eduardo Bim alega o desejo dos indígenas na regularização das atividades agrícolas nas terras e sobre o impedimento da regeneração natural das áreas, o presidente do Ibama afirma: “terra indígena não é unidade de conservação, conforme parecer da Procuradoria Federal Especializada do Ibama, não havendo que se falar em dever se manter a vegetação intocada”. 

Para Bim, não seria possível caracterizar o impedimento da regeneração natural, “o que violaria a autodeterminação dos índios garantida pela Convenção OIT 169 de trabalharem a sua terra dentro dos limites permitidos pelo Código Florestal”, destaca Eduardo Bim no despacho.

Saiba Mais

Despacho nº 5968103/2019-GABIN

 

Leia Também

Deputado quer permitir produção e mineração dentro das terras indígenas de MT

Fiscalização busca soja transgênica nas UCs

O que são Alimentos Transgênicos

 

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Dicionário Ambiental
8 de julho de 2013

O que são Alimentos Transgênicos

Alimentos geneticamente alterados parecem ficção científica, mas já está nos pratos brasileiros há 1 década. Entenda o que são neste guia.

Salada Verde
25 de março de 2011

Fiscalização busca soja transgênica nas UCs

Em Santa Catarina, Instituto Chico Mendes começa aplicar determinações que proibem plantio de espécies modificadas no entorno de reservas.

Salada Verde
25 de abril de 2019

Deputado quer permitir produção e mineração dentro das terras indígenas de MT

PEC apresentada na Assembleia se espelha nos índios Pareci, que cultivam soja em suas terras. Em janeiro, ministros do Meio Ambiente e da Agricultura visitaram o local  

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta