Reportagens

Cidades em debate

Lula abre encontro no Rio que discutirá durante esta semana o crescimento das cidades. Ações de mitigação e adaptação dos centros urbanos às mudanças climáticas entram nos debates.

Cristiane Prizibisczki ·
23 de março de 2010 · 12 anos atrás
Lula durante seu discurso na abertura do evento (Foto: Ricardo Stuckert/Agência ABr)
Lula durante seu discurso na abertura do evento (Foto: Ricardo Stuckert/Agência ABr)

Começou nesta segunda-fiera (22),  na cidade do Rio de Janeiro o 5º Fórum Urbano Mundial. Organizado pelo programa das Nações Unidas para a Habitação, o UN-Habitat, o encontro tem como tema central o crescimento das cidades e as políticas públicas que precisam ser implementadas para que os cidadãos tenham seus direitos garantidos, como o acesso à moradia. A primeira vista, o assunto pode parecer focado apenas no lado social da questão urbana, mas ele tem muito a ver com meio ambiente.

Quando se fala em favelização e más condições de moradia, por exemplo, estamos diretamente falando de disposição inadequada de resíduos sólidos, eliminação de esgoto não tratado na natureza e, na maioria das vezes, ocupação de encostas, topos de morros e beiras de rios, que são consideradas, pela lei brasileira, áreas de preservação permamente.

Parte da programação de eventos paralelos, debates e seminários, que começaram hoje e vão até o final de semana, é voltada a questões ambientais, como as ações de mitigação e adaptação que deverão ser implementadas nas cidades frente ao cenário da mudança climática, gestão da água e dos resíduos sólidos, poluição do ar e construções sustentáveis. Mas outros debates também passarão pelo tema, mesmo que não explicitamente, como segurança alimentar.

Os desafios são muitos: segundo dados da ONU, nas próximas décadas é esperado que a população humana vivendo em cidades chegue a 70% – hoje ultrapassa os 50%. Esta é também a porcentagem de lixo que hoje já é gerada nos centros urbanos de todo o mundo, em relação ao total produzido. Em muitos países subdesenvolvidos ou em desenvolvimento, o número de habitantes vivendo em favelas supera, em muito, àqueles que têm moradia regular. A África do Sul é um exemplo: 62% da população mora em favelas. No sudeste asiático, em certas cidades essa porcentagem chega a 65%. Na América Latina o número é de 24%, de acordo com a ONU.

Durante a abertura do evento, Anna Tibaijuka, diretora-executiva da ONU-Habitat, destacou os avanços em todo mundo em questões relativas às cidades. O número de participantes do Fórum é um exemplo: no primeiro, em 2002, participaram 1200 pessoas; para este, foram inscritas 19 mil, vindas de 170 países. Mas, apesar dos avanços, ainda há muito a ser feito. “Há, sim, a necessidade de parabenizar [os responsáveis pelas as iniciativas], mas não há espaço para complacência. É preciso que alguém tenha coragem de dizer que o rei está nu”, disse Anna.

Em discurso improvisado, Lula convidou os participantes a visitarem as cidades brasileiras, para que vejam os avanços locais. De fato, alguns indicadores estão melhores. Durante o evento, o ministro das Cidades, Marcio Fortes, anunciou que o déficit habitacional brasileiro caiu para 5,8 milhões de domicílios, dos quais 82% estão localizados em áreas urbanas. Em 2007, esse número era de 6,3 milhões.

Mas ainda falta bastante para chegar a uma situação ideal. Tomara que os visitantes não vejam os 5,4 bilhões de litros de esgoto sem tratamento que são jogados todos os dias diretamente na natureza, segundo levantamento do instituto Trata Brasil. No ranking dos 14 países com piores sistemas de tratamento de esgoto, feito pela Organização Mundial de Saúde ano passado, o Brasil ficou com 7º lugar.

Clique para ampliar.
Clique para ampliar.

Leia mais:

Brasil: ainda no esgoto
O perfil da nossa urbanidade
Um passeio de bike em Copnhague
Para os que andam a pé em São Paulo

Veja cobertura completa aqui.

  • Cristiane Prizibisczki

    Cristiane Prizibisczki é Alumni do Wolfson College – Universidade de Cambridge (Reino Unido), onde participou do Press Fellow...

Leia também

Notícias
20 de outubro de 2021

Desmatamento na Amazônia já chega a quase 9 mil km² em 2021, mostra Imazon

Somente em setembro foram destruídos 1.224 km² de floresta, área equivalente a mais de 4 mil campos de futebol por dia. Números sãos os maiores em 10 anos

Salada Verde
20 de outubro de 2021

Em comemoração de seus 10 anos, Onçafari lança concurso de fotografia

Fotógrafos profissionais e amadores podem se inscrever até o dia 14 de novembro. Vencedores terão a oportunidade de fotografar a fauna e flora existentes na sede da Onçafari, no Pantanal

Notícias
20 de outubro de 2021

INPE não tem recursos garantidos para pagamento de água e luz até final do ano

Destinação de R$ 5 milhões pela AEB deu um respiro ao Instituto, mas órgão ainda aguarda verba de outras fontes para honrar despesas de funcionamento até dezembro

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta