Reportagens

Tempo seco se aproxima na Amazônia

De acordo com boletim do SIPAM, na região do arco do desmatamento, a previsão é de pouca umidade, podendo chegar a menos de 30%.

Redação ((o))eco ·
5 de maio de 2010 · 12 anos atrás
Níveis de umidade na região amazônica (fonte SIPAM)


(Manaus, com informações do Sipam
) – Segundo o Boletim Climático da Amazônia divulgado nesta terça-feira (04.05) pelo Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam) o mês de maio deve apresentar intensidade de chuvas semelhante a abril, mas em junho e julho o clima deve ficar mais seco.

“Maio é considerado um mês de transição, ou seja, saímos da estação chuvosa para a seca, podendo as condições meteorológicas apresentarem-se com características da estação chuvosa, dias com bastante nebulosidade e chuva com trovoadas, e da estação seca, diascom chuvas isoladas e poucas nuvens”, explica a meteorologista Ana Cleide Bezerra.

Porém para a região do arco do desmatamento, a previsão é de pouca umidade, podendo chegar a menos de 30%, e grande amplitude de temperatura, com madrugadas frias e tardes quentes. “Destaca-se também a estação seca no sul da Amazônia, onde predomina uma massa de ar seca,dificultando a formação de nebulosidade”, afirma Meteorologista do Sipam. Ou seja perigo de fogo na mata. (Vandré Fonseca)

Leia também

Notícias
2 de dezembro de 2021

Lideranças indígenas do Pará cedem à pressão de invasores e aceitam reduzir seu território pela metade

Caciques da TI Apyterewa disseram ao STF que, em “acordo” feito com invasores, aceitam redução de 392 mil hectares de suas terras

Notícias
2 de dezembro de 2021

Com maioria no Conama, governo federal impõe mudanças no CNEA

Conama aprova alterações no Cadastro Nacional de Entidades Ambientalistas e impõe mais burocracia e custos para a participação da sociedade civil no conselho

Reportagens
2 de dezembro de 2021

Secas recorrentes afetam a capacidade de recuperação da Floresta Amazônica, alerta estudo

Nas últimas duas décadas, a Floresta Amazônica tem sido impactada por secas cada vez mais intensas e frequentes. As mais severas ocorreram em 2005, 2010 e 2015

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta