Salada Verde

Novo e-book sobre pagamento por serviços ambientais

Publicação narra experiências no Brasil e na América Latina sobre o mecanismo econômico que ajuda a manter a floresta em pé. Confira.

Redação ((o))eco ·
22 de janeiro de 2014 · 9 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Tido como uma das principais ferramentas capazes de frear o avanço da perda da floresta, o uso de pagamento por serviços ambientais (PSA) pipoca aqui em ali, em projetos específicos e alheios ao grande público. O Instituto O Direito por Um Planeta Verde reuniu 4 artigos que falam de exemplos bem sucedidos de PSA em países da América Latina e no Brasil. Eles foram publicados em “Pagamento por Serviços Ambientais – Experiências locais e latino-americanas” (144 páginas), que faz parte da série  “Direito e Mudanças Climáticas”, composta por 4 e-books e disponível para download gratuito.

Entre os casos relatados de pagamento por serviços ambientais está o uso de de recursos hídricos em países como Costa Rica, México, Equador e Colômbia; a experiência de mitigação de mudanças climáticas na amazônia brasileira; e a proteção da biodiversidade em Santa Catarina.

Confira o e-book

 

Leia Também
WWF publica estudo sobre incentivos por serviços ambientais
Floresta em pé, água abundante
O que são serviços ambientais?

 

 

 

Leia também

Reportagens
12 de agosto de 2022

Conhecer para preservar: atrizes de Pantanal contam como se apaixonaram pelo bioma

Letícia e Malu explicam a paixão despertada pelo bioma durante as gravações e destacam importância da conservação para a região

Notícias
12 de agosto de 2022

Amazônia perdeu área equivalente à cidade de São Paulo em julho, mostra INPE

Números foram atualizados nesta sexta-feira. Desmatamento em 2022, segundo o Deter, chegou a 8.600 km², área quase do tamanho de Rio Branco (AC)

Notícias
12 de agosto de 2022

Monitoramento de baleias no Rio registra trânsito de 58 baleias próxima das ilhas Cagarras

Desde o ano passado, o Projeto Ilhas do Rio acompanha o corredor migratório das jubartes pelo litoral do Rio. Pesquisadores alertam para grande volume de lixo na rota das baleias

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta