Salada Verde

Em ato pró-Dilma, ministra elogia Código Florestal

Izabella Teixeira afirmou que política ambiental atual vive de soluções e não problemas. Ato de apoio à reeleição reuniu 200 pessoas em Brasília.

Daniele Bragança ·
16 de setembro de 2014 · 7 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Ministros em campanha formam o nome da candidata. Foto: divulgação.
Ministros em campanha formam o nome da candidata. Foto: divulgação.

O código florestal entrou de vez como avanço no discurso de conquistas ambientais do governo Dilma. Dessa vez, coube a ministra Izabella Teixeira, do Meio Ambiente, reafirmar o que já estava grafado no plano de governo apresentado ao TSE. A fala foi registrada pelo site oficial da campanha pela reeleição durante encontro dos socioambientalistas com Dilma, evento que aconteceu na manhã do último domingo (14), em Brasília.

Tendo uma ex-ministra do meio ambiente em segundo lugar nas pesquisas de intenção de voto, o discurso sobre as conquistas ambientais do governo petista incorporou desde a queda do desmatamento na Amazônia () a mudança do Código Florestal feito pelo Congresso Nacional.

“Essa é a diferença do governo Dilma, é um governo que olha pro socioambiental realmente procurando soluções que sejam inclusivas, como foi o exemplo do Código Florestal. Durante anos, as pessoas adiaram decisão. Quem teve condição de decidir, não decidiu, deixando 90% dos agricultores familiares desse país na ilegalidade. Na hora que a gente construiu as soluções, todos agora querem apoiar as soluções”, afirmou a ministra.

A ministra também afirmou que o Ministério do Meio Ambiente (MMA) ganhou envergadura muito maior do que tinha no passado, “tendo a capacidade de articular os vários ministérios em torno de políticas ambientais”.

“Votar em Dilma significa votar em soluções, numa política ambiental que vive de soluções e não de uma política ambiental que vive de problemas”, alfinetou.

Video

Quando Marina Silva era chefe da pasta, travou lutas públicas com a então ex-ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, por causa do licenciamento das Usinas de Jirau e Santo Antônio, construídas no Rio Madeira. Em entrevista ao iG e à RedeTV na semana passada, Dilma disse que projetos como as usinas hidrelétricas de Santo Antonio e Jirau não foram executados como planejado pelo governo “por responsabilidade” da ex-senadora.

De acordo com o site oficial do Partido dos Trabalhadores, estiveram presentes no evento o teólogo Leonardo Boff, as ministras Izabella Teixeira, do Meio Ambiente, Tereza Campello, do Desenvolvimento Social e Combate À Fome, e o ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria Geral da Presidência da República. Ainda segundo o PT, mais de 200 pessoas se reuniram no Eixão de Brasília para apoiar a candidata.

 

 

Leia Também
Código Florestal vira conquista ambiental no programa de Dilma Rousseff
Criação de áreas marinhas protegidas está estagnada
Geraldo Abreu: “Implementar Código Florestal é o maior desafio”

 

 

 

  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Reportagens
21 de outubro de 2021

Estudo aponta diretrizes para barrar a degradação acelerada de campos e savanas

As chamadas grasslands estão ameaçadas em todo o planeta, alerta um grupo internacional de pesquisadores. Solução envolve restauração e busca de alternativas de exploração econômica sustentáveis

Notícias
21 de outubro de 2021

Até 2020 Rondônia não possuía lei para regular destinação de terras públicas

Estado tem quase 30% de seu território ocupado por terras não destinadas. Briga entre Legislativo e Executivo rondonienses dificultam formalização dos processos

Reportagens
21 de outubro de 2021

Superintendente dá aval para obras que ameaçam habitat de peixe das nuvens cearense

Duplicação de rodovia no litoral do Ceará foi embargada pelo Ibama em janeiro para proteger espécie de peixe das nuvens ameaçada. Com desembargo, pesquisadores temem pela destruição do habitat já restrito da espécie

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta