Salada Verde

Justiça determina que a Bahia volte a realizar licenciamento no campo

Decisão suspende dois decretos que burlavam a legislação federal para atividades agrossilvipastoris. A multa é de R$ 100 mil por dia em caso de descumprimento

Sabrina Rodrigues ·
15 de março de 2017 · 5 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Foto: Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo.
Agrossilvipastoril combina espécies florestais com culturas agrículas e/ou pecuária. Foto: Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo.

Na terça-feira (14), a Justiça Federal determinou que a Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Bahia (Inema) volte a realizar o licenciamento ambiental das atividades agrossilvipastoris no estado. A decisão da Justiça é de caráter liminar e entra em conformidade com os pedidos do Ministério Público Federal na Bahia e Ministério Público do Estado da Bahia, que viram irregularidades em dois decretos estaduais.

Em agosto de 2016, o MPF-BA e o MP-BA ajuizaram ação civil pública contra o Estado da Bahia e o Inema a fim de suspender os artigos 8º e 135º do Decreto Estadual nº 15.682/2014 que dispensava o licenciamento ambiental para atividades agrossilvipastoris. Dois meses depois, os procuradores pediram a anulação do Decreto Estadual n. 16.963/2016, que segundo os órgãos, era uma forma de burlar a legislação federal. Um cadastro online era realizado e dessa forma, não era necessário estudo ambiental ou vistoria prévia.

Uma atividade agrossilvipastoril utiliza espécies florestais, agrícolas e/ou criação de animais de forma simultânea em uma mesma área e são atividades que podem causar significativos impactos ambientais e por isso, é necessária a exigência de licenciamento ambiental para a realização dessas atividades.

Caso a determinação judicial seja contrariada, a pena de multa é de R$ 100 mil por dia.

 

*Com informações da Assessoria de Imprensa do MPF na Bahia

 

Leia Também

Rio Grande do Norte: indústria do camarão manobra, mas perde

Tocantins derruba licenciamento ambiental no campo

O que é a Agrossilvicultura

 

 

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Dicionário Ambiental
16 de abril de 2015

O que é a Agrossilvicultura

Conheça a prática de combinar agricultura e pecuária com a plantação de florestas para buscar o uso mais sustentável dos recursos.

Reportagens
6 de junho de 2013

Tocantins derruba licenciamento ambiental no campo

Passada em regime de urgência, nova lei exime atividades agrossilvipastoris de licença e cria situação que conflita com leis federais.

Salada Verde
14 de junho de 2015

Rio Grande do Norte: indústria do camarão manobra, mas perde

Carcinicultores tentaram através da Justiça evitar que 1.000 hectares de mangue degradados pela atividade fossem recuperados

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. Andressa Trancoso diz:

    Concordo que a agrossilvipastoril pode causar significativos impactos ambientais, realmente precisamos ter a exigência de licenciamento ambiental para a realização dessas atividades. O estado da Bahia ja sofre muito com isso, esta na hora de mudar para sempre!
    Andressa da empresa Casa Trancoso