Salada Verde

Pará entra com ação contra a Hydro no valor de R$ 250 milhões

Na ação movida pela Procuradoria Geral do Estado, governo também pede plano de ação para recuperação da área afetada, com multa diária de R$ 100 mil por descumprimento

Sabrina Rodrigues ·
3 de abril de 2018 · 4 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Estado da água na localidade perto da refinaria Hydro Alunorte, em Barcarena, Pará. Foto: Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) do Pará.

 

Na manhã desta terça-feira (03), a Procuradoria Geral do Estado do Pará (PGE-PA) entrou com ação civil pública ambiental contra a empresa Hydro Alunorte, que contaminou um rio no município de Barcarena (PA) com metais pesados. Na ação, a Procuradoria quer que a empresa pague o valor de R$ 250 milhões como forma de reparação dos prejuízos causados pelo lançamento de águas pluviais não tratadas pela refinaria.

O valor de R$ 200 milhões deve ser destinado ao pagamento de indenização por parte da Hydro por danos morais coletivos, enquanto o valor de R$ 50 milhões é por danos materiais causados pela empresa, o que na nota são descritos como “prejuízos dantescos”.

O documento, assinado pelo procurador-geral do Estado, Ophir Cavalcante Junior, e pela procuradora Tátilla Passos Brito, justifica a ação argumentando que “a agressão perpetrada pela empresa ao meio ambiente não pode ser reparada, unicamente, com a reposição in natura diante da magnitude, agressividade e pela própria extensão do dano, aliada ao fato, inconteste, de que a empresa vinha de há muito incidindo em parte dos ilícitos aqui narrados, obtendo lucro com essa postura, impõe-se a condenação aos danos materiais difusos, o que é perfeitamente acumulável”.

Na ação, o Estado do Pará também requisita a concessão de tutela antecipada para determinar a apresentação de Plano de Ação para recuperação da área afetada e a suspensão de quaisquer condutas não autorizadas no âmbito do licenciamento ambiental, com aplicação de multa diária por descumprimento no valor de R$ 100 mil.

O município de Barcarena foi atingido por fortes chuvas ocorridas nos dias 16 e 17 de fevereiro e no dia seguinte a população percebeu a presença de lama vermelha nas águas em Barcarena (PA). A Hydro Alunorte passou dias negando o fato até o laudo do Instituto Evandro Chagas (IEC) confirmou a contaminação por chumbo e outros metais nas águas do município.

No dia 15 de março, a Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) do Pará emitiu auto de infração contra a refinaria, pelo desvio no sistema de drenagem de água pluvial em uma área de armazenamento de carvão e pelo lançamento de rejeitos no rio Pará sem qualquer tipo de tratamento. A empresa teve que pagar R$ 120 milhões em multa.

Saiba Mais

Ação Civil Pública Ambiental

 

Leia Também

Relatório aponta água contaminada, após despejos da Hydro Alunorte

Governo do Pará autua Hydro Alunorte por novo vazamento

MP pede embargo de mineradora por despejo de metais pesados em rio no Pará

 

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Notícias
26 de fevereiro de 2018

MP pede embargo de mineradora por despejo de metais pesados em rio no Pará

Empresa é acusada de utilizar tubulação clandestina para jogar rejeitos nas nascentes do rio Muripi, em Barcarena. Laudo confirma contaminação de chumbo e outros metais

Salada Verde
19 de março de 2018

Governo do Pará autua Hydro Alunorte por novo vazamento

Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade relata desvio no sistema de drenagem de água de chuva que passou por uma área de armazenamento de carvão, sem tratamento

Salada Verde
29 de março de 2018

Relatório aponta água contaminada, após despejos da Hydro Alunorte

O Instituto Evandro Chagas (IEC) afirma que as águas apresentam alto nível de contaminação por metais tóxicos, com grau acima do que a legislação brasileira permite

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta