Salada Verde

Rede vai ao STF para barrar fim do monitoramento do Cerrado

INPE não conseguiu 2,5 milhões para manter programa de monitoramento do desmatamento no segundo maior bioma do país. Partido vai entrar com ação para garantir a continuidade do Prodes Cerrado

Daniele Bragança ·
7 de janeiro de 2022
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

O partido Rede Sustentabilidade vai apresentar no Supremo Tribunal Federal (STF) uma Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) para obrigar o governo a recompor o orçamento do Instituto de Pesquisas Espaciais (INPE) e garantir, assim, o programa de monitoramento do desmatamento no Cerrado.

O programa vai ser descontinuado em abril, após a direção do INPE não conseguir recomposição do orçamento junto ao Governo. Por ano, o monitoramento do bioma custa em torno de R$ 2,5 milhões. A equipe do programa já foi desmobilizada.

Desde junho de 2021 já se sabe da fragilidade do destino do Programa de Monitoramento do Cerrado, ameaçado por falta de verbas. 

“Não vamos permitir um apagão de dados!”, anunciou o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), na rede social Twitter.

Metade do Cerrado já foi destruído para dar lugar à agropecuária. Só em 2021, o bioma perdeu  8.531 km², uma alta de 8% em relação ao período anterior.

  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Notícias
6 de janeiro de 2022

Falta de verba força INPE a parar o monitoramento do Cerrado a partir de abril

Tentativas de recomposição do orçamento junto ao Governo não tiveram sucesso. Programa custa R$ 2,5 milhões ao ano, mesmo valor que Bolsonaro gastou em 18 dias de férias em 2021

Notícias
18 de junho de 2021

Monitoramento do desmatamento no Cerrado pode parar em agosto por falta de verba

Mapeamento anual também deve ser descontinuado a partir de dezembro. Governo ainda não apresentou alternativa para fim dos programas Deter e Prodes-Cerrado

Salada Verde
18 de janeiro de 2022

Em evento, Bolsonaro comemora redução de 80% das multas do Ibama

“Nós reduzimos em mais de 80% as multagens no campo”, disse o presidente, que creditou ao ex-ministro Salles e à ministra da Agricultura, Teresa Cristina, as boas medidas para o campo

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta