Análises

Tiro pela culatra

Redação ((o))eco ·
18 de julho de 2008 · 13 anos atrás

De Rafael O. Szekir

Boa tarde, sou bisneto de caçador, desde pequeno meu avô sempre orientando, e ensinando a caçar, na época certa, (fora da postura e filhotes), o melhor era sentar com ele e escutar as histórias, quando ele chegava com pencas de marrecão (netta peposaca) a cota ainda era 40 peças por final de semana, nesta época me recordo que muita gente caçava regularizado é claro. Sempre respeitamos o calendário que ele estipulava, as espécies e nunca caçando na volta das casas. Tenho a caça no sangue, gosto muito do banhado, mas aqui no sul tá difícil, até fazendeiros e granjeiros estão sendo inibidos, para não liberarem a caça em suas terras, por um lado acho certo, pois um caçador não é quem tem uma arma e um punhado de cartuchos ou balas, é uma grande responsabilidade, vivemos o ano todo em torno da chegada da temporada, que por sinal não vai ser aberta este ano novamente. Penso da mesma forma, a única maneira de equilibrar é, conservando o habitat e regularizando a caça esportiva, assim temos um controle de quem esta caçando e onde, pois hj quen entra num banhado, vai fazer a festa pois não sebe quando vai ter outra oportunidade…

Temos que nos unir e tentar reverter isto, pois não somos criminosos nem bandidos.

Abraço.

Leia também

Salada Verde
3 de dezembro de 2021

Paraná pretende reativar trecho brasileiro de trilha histórica que liga o Atlântico ao Pacífico

Chamada de Caminhos do Peabiru, trilha tem 1.550 no trecho paranaense, que vai de Paranaguá a Guaíra. Caminho era usado por incas e guaranis, antes da colonização

Notícias
3 de dezembro de 2021

Amapá vende terras públicas invadidas a R$ 46 o hectare

Estado possui mais de 2,5 milhões de hectares de áreas ainda não destinadas. Cerca de 50% deste total é classificado como de importância biológica extremamente alta

Reportagens
3 de dezembro de 2021

Novo Código de Mineração propõe aprovação automática de milhares de processos parados na ANM

Proposta pode afetar mais de 90 mil requerimentos que aguardam aprovações técnicas e ambientais; medida ainda interfere na criação de unidades de conservação e dificulta demarcação de terras indígenas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta