Análises

Êta trem bão!

Quando, em 1999, fiz uma viagem para conhecer algumas experiências de conservação nos Estados Unidos  uma das iniciativas que mais me impressionou foi o programa Trilhos para Trilhas. 

Pedro da Cunha e Menezes ·
27 de novembro de 2009 · 12 anos atrás
Trilha sobre o trilho (foto: autor)

Quando, em 1999, a convite da Embaixada americana, fiz uma viagem para conhecer algumas experiências de conservação nos Estados Unidos , uma das iniciativas que me impressionou foi o programa Trilhos para Trilhas ou Rails to Trails, no original em inglês

Trata-se de empreitada que recicla antigas linhas férreas fora de uso, repaginando-as em ciclovias ou trilhas de lazer. Hoje já há milhares de quilômetros dessas ferrovias revitalizadas em praticamente todos os estados americanos. A ideia deu tão certo que está sendo copiada na Austrália. (http://www.railtrails.org.au/).

Em Portugal, a iniciativa, oficialmente batizada de ecopistas, está engatinhando mas, na prática, a desativação em 1988 do trecho de 28 quilômetros da linha de trem entre as estações de Pocinho e Barca d´Alva, no nordeste português, brindaram os trilheiros ibéricos com uma caminhada para locomotiva nenhuma botar defeito.

A cabritada é feita inteiramente na margem esquerda do fabuloso rio Douro, cujo vale é, em grande parte do trajeto, decorado com intermináveis plantações de parreiras de onde se fermenta o vinho do Porto. Esse trecho do rio, conhecido como Alto Douro Vinhateiro, é tão bonito que, em 2001, a UNESCO decidiu outorgá-lo o título de Patrimônio Mundial da Humanidade. Entre Pocinho e Barca d´Alva, quase sem cruzar viv´alma o caminhante atravessa túneis, vence deslizamentos de terra, passa por estações fantasma e banha-se a valer nas águas refrescantes de um dos maiores cursos d´água da Península Ibérica. Como brinde, ainda trilha cerca de oito quilômetros dentro do Parque Natural do Douro Internacional onde, com sorte, é possível avistar raposas, lebres selvagens e esquadrilhas de aves de rapina. Trata-se de caso típico onde a natureza (e seus amantes) agradece aos efeitos da decadência econômica. VEJA FOTOS ABAIXO

 
A paisagem do Alto do Douro Vinhateiro (foto:autor)
 

Leia também

Notícias
20 de outubro de 2021

INPE não tem recursos garantidos para pagamento de água e luz até final do ano

Destinação de R$ 5 milhões pela AEB deu um respiro ao Instituto, mas órgão ainda aguarda verba de outras fontes para honrar despesas de funcionamento até dezembro

Notícias
19 de outubro de 2021

Adote um Parque ganha nova fase com unidades de conservação da Caatinga

Nova etapa do programa de adoção das UCs criado por Salles terá foco em trilhas e incluirá dez áreas protegidas da Caatinga, entre elas, os parques nacionais da Chapada Diamantina e de Jericoacoara

Notícias
18 de outubro de 2021

Websérie traz o elo entre o ser humano e a natureza do Rio de Janeiro

Personagens que possuem uma conexão especial com a paisagem natural da cidade são apresentados na websérie do documentarista e fotógrafo carioca, Rafael Duarte

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta