Análises

Flores, ainda, pois elas merecem!

Sem dúvida o lugar mais bonito para ver as flores sul-africanas é o Parque Nacional Namaqua, um dos dois únicos 34 hotspots do mundo, cujo ambiente é completamente árido.

Pedro da Cunha e Menezes ·
15 de novembro de 2010 · 12 anos atrás

 

Com algum atraso, que peço ao leitor me perdoar, já que foi , motivado por elevada carga de trabalho, volto a atualizar o Palmilhando. Jä é tempo, pois a primavera já vai a meio e as flores sul-africanas continuam mostrando sua cara.

Sem dúvida o lugar mais bonito para vê-las é o Parque Nacional Namaqua, cujos 145 mil hectares estão junto às águas geladas do Atlântico Sul e próximos à fronteira com a Namíbia. Dentro do Parque a área mais rica em flora é a seção Skilpad.

O ecossistema do Namaqua é o Karoo suculento, um dos dois únicos já poucos 34 hotspots do mundo, que é um ambiente completamente árido. O título justifica- se, no Namaqua existem 6.500 espécies e 134 tipos de vegetação, dos quais 34 são endêmicos.

O Parque, que emprega 17 servidores permanentes e 55 temporários, foi consolidado apenas em 2008 graças a uma doação de 35 mil hectares feita pela Companhia Mineradora De Beers ao Serviço de Parques sul-africano.

Como se tratava de área bastante degradada pela mineração diamantífera, a instituição ambiental está agora restaurando a vegetação da zona e reitroduzindo espécies animais, sobretudo os antílopes Gemsbok, Springbok e Hartebeest vermelho.

O Parque é considerado fundamental para a proteção do ecossistema de que um dia fez parte. Explica-se: praticamente 90% da Namaqualândia está degradada e sem possibilidade realista de recuperação. Com efeito, o Parque Nacional faz parte de uma pequena rede de unidades de conservação que garantem a preservação de escassos 4% do que um dia foi o maior tapete de flores da África.

Quem tem a oportunidade, ou a sorte, de vê-lo florindo, agradece!

Leia também

Notícias
16 de agosto de 2022

Alvo de imbróglio jurídico, Parque Cristalino II perde quase 900 hectares em queimada ilegal

Ainda não é possível dizer se incêndio foi intencional, mas organizações alertam para “coincidência” entre fato e decisão da justiça pela extinção da unidade

Reportagens
16 de agosto de 2022

Plantio indiscriminado de árvores descaracteriza savanas em vez de restaurá-las, alertam cientistas

Savana não é floresta degradada. E não se reconstrói savana plantando árvores. Essas afirmações, que têm sido feitas há tempos pelos principais pesquisadores do tema, foram reiteradas em edição especial da revista Science publicada no início deste mês. O assunto tornou-se ainda mais relevante, uma vez que a Organização das Nações Unidas (ONU) definiu o período entre 2021 e

Reportagens
16 de agosto de 2022

Indígenas buscam eleger bancada para “aldear” Congresso e Assembleias

Representantes de povos de todo o país buscam candidaturas nos legislativos estaduais e federal. O movimento reforça o debate das questões ambientais

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta