Notícias

Solução à queima roupa

Só depois de muita pressão Carlos Minc se posicionou sobre a conservação da rã Physalaemus soaresi, na Flona Mário Xavier, em Seropédica, ameaçada por obras do Arco Metropolitano do Rio de Janeiro. E se posicionou mal. 

Redação ((o))eco ·
30 de setembro de 2009 · 12 anos atrás

Só depois de muita pressão Carlos Minc se posicionou sobre a conservação da rã Physalaemus soaresi, na Flona Mário Xavier, em Seropédica, ameaçada por obras do Arco Metropolitano do Rio de Janeiro. E se posicionou mal. Especialistas da área vêem na sua proposta de isolar o “brejo” onde vive a espécie com chapas de metal uma solução de última hora, tosca e típica de quem oferece declarações à queima roupa para agradar a “opinião pública”. O ministro ajudou a licenciar a obra quando era secretário estadual de meio ambiente.

Biólogo e professor da Universidade Cândido Mendes, Celso Sánchez Pereira comentou a O Eco que cercar a área traz uma série de riscos, como o da fragmentação do ecossistema, tornando ainda mais delicada a situação da rã. “Ao invés de protegê-la, podemos colocá-la em maior risco”. Ele lembra ao ministro que a área protegida abriga outras espécies importantes, como o peixe-das-nuvens Leptolebias minimus. “Em termos de conservação não podemos nos focar apenas em uma única espécie, devemos pensar no ecossistema como um todo” ressaltou.

Sánchez avalia que o episódio da floresta nacional, ainda não resolvido, revela que desenvolvimento sustentável no Brasil é conversa para boi dormir e aposta que mudar o traçado da rodovia é a única solução verdadeira para o impasse. “Ao reduzir a questão do Arco Metropolitano e seus impactos socioambientais e arqueológicos ao problema da “perereca”, reduzimos sua complexidade e nos cegamos. Assim técnicos ambientais correm o risco de parecer ecoxiitas e políticos correm o risco de parecer militantes do progresso a qualquer custo. O arco é uma obra fundamental para o Rio de Janeiro, mas realmente precisa passar por ali? Não há a possibilidade de repensar o traçado naquele trecho?”, questionou.

Saiba mais: 
Grades para a perereca 
Uma rã carioca marcada para morrer 
Mais uma espécie ameaçada pelo PAC

Leia também

Análises
20 de janeiro de 2022

Além do plantio: incluindo pessoas na restauração florestal

Mais importante do que “apenas” plantar árvores, é necessário conciliar a conservação ambiental com produção sustentável através da integração de paisagens e pessoas

Notícias
19 de janeiro de 2022

Com pedido de Wassef, Justiça libera madeira apreendida em operação histórica

O advogado da família Bolsonaro conseguiu a liberação de madeira e bens da empresa MDP Transportes, uma das afetadas pela operação da PF que resultou na maior apreensão de madeira já feita

Salada Verde
18 de janeiro de 2022

Em evento, Bolsonaro comemora redução de 80% das multas do Ibama

“Nós reduzimos em mais de 80% as multagens no campo”, disse o presidente, que creditou ao ex-ministro Salles e à ministra da Agricultura, Teresa Cristina, as boas medidas para o campo

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta