Notícias

O Acre está em chamas

Imagem de satélite do último dia 10 revela os focos de incêndio e fumaça que afetam vida dos moradores de Rio Branco.

Redação ((o))eco ·
11 de agosto de 2010 · 13 anos atrás

O Acre está passando mais uma vez pelo drama das queimadas. Em 2005, o estado perdeu milhares de hectares durante a seca prolongada. Neste ano, embora o quadro não seja tão grave, o governo estadual soltou nesta segunda-feira (09) um alerta ambiental frente à possibilidade de queimadas florestais sem controle.O número de focos de calor aumentou  587% se comparado ao ano passado.

Há relatos de funcionários do Ibama de que metade da Terra Indígena Colônia 27 em Tarauacá foi queimada. Isso representa 175 mil hectares de floresta nativa danificad0s.

Relatos de moradores de Rio Branco revelam que a intensidade das queimadas ao redor da capital também é grande. Muitos afirmam que a fumaça é insuportável.

A imagem captada pelo Sensor MODIS a bordo do satélite AQUA nesta terça-feira (10). Ela mostra os pontos de queimadas e fumaça sobre a capital do Acre. Crédito da imagem  NASA. Arte: ((o))eco

Aqui você pode baixar esta imagem para ver em seu Google Earth (arquivo KMZ 5M) Se você não tem Google Earth, clique aqui

Leia também

Notícias
8 de fevereiro de 2023

Não existirá futuro sem preservar a Amazônia, diz Mercadante ao assumir controle do Fundo Amazônia

Petista diz que uma das prioridades do fundo será reestabelecer o combate ao desmatamento e o apoio às comunidades mais vulneráveis

Salada Verde
8 de fevereiro de 2023

Pesquisa irá avaliar riscos da poluição por plásticos e microplásticos no Pantanal

Contemplado no Programa de Apoio à Fixação de Jovens Doutores no Brasil, projeto vai estudar impactos dos materiais para a biodiversidade e saúde humana no bioma

Reportagens
8 de fevereiro de 2023

Os sem floresta: a perda de habitat que ameaça os macacos brasileiros

Levantamento mapeia a perda de habitat para 190 espécies de mamíferos terrestres brasileiros e alerta para situação dos primatas e suas florestas cada vez menores

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta