Notícias

Roedor dado como extinto reaparece depois de 113 anos

A descoberta e a primeira foto ocorreram na Reserva Natural El Dorado, Colômbia, onde vivem diversas espécies ameaçadas de aves e anfíbios.

Vandré Fonseca ·
19 de maio de 2011 · 11 anos atrás
Animal apareceu nos alojamentos da reserva e, após as fotos, voltou calmamente para a floresta. Créditos: Lizzie Noble/ProAves www.proaves.org
Animal apareceu nos alojamentos da reserva e, após as fotos, voltou calmamente para a floresta. Créditos: Lizzie Noble/ProAves www.proaves.org
Um roedor colombiano reapareceu, por acaso, depois de 113 anos sem dar sinal de vida e pela primeira vez foi fotografado. O rato-arbóreo-de-santa-marta (Santamartamys rufodorsalis) havia sido registrado em 1898, e de lá para cá nunca mais tinha sido visto ou deixado rastros, levando os cientistas a considerá-lo extinto. Ele reapareceu nos alojamentos da Reserva Natural El Dorado, na Colômbia, e posou para dois pesquisadores, às 21h30, do dia 4 de maio de 2011. Depois da sessão de fotos, voltou calmamente para a floresta.

A descoberta foi divulgada esta semana pela Conservação Internacional. “Simplesmente, ele veio pelo corrimão até onde estávamos sentados e parecia totalmente impassível diante toda a emoção que estava causando”, declarou Lizzie Nobble à Conservação Internacional. Ele e Simon McKeown, responsáveis pela descoberta, faziam pesquisas sobre anfíbios na reserva, como voluntários da Fundação ProAves, uma organização colombiana sem fins lucrativos que atua na pesquisa e conservação da biodiversidade.

Visualmente, o rato-arbóreo-de-santa-marta se diferencia de outros roedores pela juba avermelhada ao redor do pescoço e pela cauda preta e branca. Este roedor mede cerca de 45 centímetros de comprimento e pesa aproximadamente meio quilo. Apesar de ter sido encontrado dentro de uma reserva, o animal está ameaçado. Grande parte do território onde ele potencialmente pode ser encontrado está cheio de gatos, que se alimentam da fauna nativa. Mas graças a esta descoberta, o roedor deve deixar de ser considerado extinto e classificado com em perigo crítico, pelos critérios da IUCN.

Com pouco mais de 800 hectares, a Reserva El Dorado é conhecida internacionalmente como um destino para observadores de pássaros e outros ecoturistas. Ela fica em uma área de florestas de altitude, a 1966 metros do nível do mar e a duas horas de carro desde a cidade costeira de Santa Marta, um importante centro turístico. A reserva é considerada pela Alliance for Zero Extinction (AZE) como uma das mais importantes para a conservação do mundo, apesar do pouco que se conhece sobre ela. A região de Santa Marta tem a maior concentração de aves continentais com habitat restrito do mundo, incluindo várias espécies em perigo, com o periquito-de-santa-marta (Pyrrhura viridicata) e o Campylopterus phainopeplus, um parente do bem-te-vi. E tem também uma das maiores concentrações de anfíbios endêmicos do planeta.

Santamartamys rufodorsalis. Créditos: Lizzie Noble/ProAves www.proaves.org
Santamartamys rufodorsalis. Créditos: Lizzie Noble/ProAves www.proaves.org
 

Leia também

Reportagens
2 de dezembro de 2021

Secas recorrentes afetam a capacidade de recuperação da Floresta Amazônica, alerta estudo

Nas últimas duas décadas, a Floresta Amazônica tem sido impactada por secas cada vez mais intensas e frequentes. As mais severas ocorreram em 2005, 2010 e 2015

Notícias
1 de dezembro de 2021

Amazônia acumula 73 mil focos de incêndio em 2021, segundo dados do INPE

Há menos de uma semana, Bolsonaro voltou a afirmar que “floresta úmida não pega fogo”. Número de queimadas no Pampa segue em alta

Notícias
1 de dezembro de 2021

Audiência Pública discute projeto de lei que quer municipalizar áreas de preservação em Angra dos Reis

Projeto que altera gestão da APA Tamoios é da deputada Célia Jordão, esposa do prefeito de Angra. Cerca de 40 organizações se manifestaram contrárias ao PL

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. Treep diz:

    Vejo como de extrema importância a preservação dessas areas,
    o turismo agradece e deve ser feito de forma consciente.
    Não sei o que é melhor, mas com o governo atual, municipalizar talvez não seja tão ruim , desde que seja com leis próprias que garantam manter preservado e fiscalizado.