Notícias

Conar muda regras para anúncios verdes

Publicidade veiculada no Brasil deverá comprovar as vantagens ambientais dos produtos que vendem se quiser anuncia-los como “verdes”.

Daniele Bragança ·
9 de junho de 2011 · 10 anos atrás

Propaganda verde precisa agora provar as vantagens ambientais dos produtos que vendem.
Propaganda verde precisa agora provar as vantagens ambientais dos produtos que vendem.
O Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) divulgou nesta terça-feira, dia 07, novas normas para publicidade que contenha apelos de sustentabilidade. As novas regras, que entrarão em vigor a partir de 1º de agosto, estabelecem, por exemplo, que a publicidade veiculada no Brasil deverá comprovar as vantagens ambientais dos produtos que vendem se quiser anuncia-los como “verdes”.

O órgão acrescentou as novas exigências no artigo 36 do Código Brasileiro de Autorregulamentação Publicitária da entidade, publicado em 1978. A alteração das normas levou em conta as tendências internacionais de regulamentação publicitária, que visam coibir a banalização da propaganda sobre temas como sustentabilidade e reduzir a propaganda enganosa conhecida como greenwashing – literalmente lavagem verde, nome que define prática de manipulação ou omissão de alguma informação com o objetivo de favorecer a imagem da empresa ou instituição, ou em outras palavras, enaltecer que é ecologicamente correta quando na verdade não é.

As regras apresentadas ontem valem para todos os meios de comunicação, inclusive a internet.

Vídeo
Consumo consciente não é prioridade

{iarelatednews articleid=”23983″}

  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Reportagens
14 de outubro de 2021

Estudo amplia de 39 para 74 os modos de reprodução conhecidos dos anfíbios e cria nova classificação

Estudo propõe um novo sistema de classificação dos modos reprodutivos para toda essa classe de animais composta por anfíbios anuros (sapos, rãs e pererecas), salamandras e cecílias (cobras-cegas)

Reportagens
14 de outubro de 2021

Licenciamento de resort em Maricá foi cancelado na Justiça, afirma advogada

Andamento no Inea surpreendeu pesquisadores e ambientalistas que movem ações judiciais contra o projeto Maraey. À frente da iniciativa, IDB Brasil nega impedimento legal

Notícias
13 de outubro de 2021

Área de pasto cresceu 200% na Amazônia nos últimos 36 anos

Atualmente, pastagens ocupam 154 milhões de hectares em todo país, área equivalente a quase todo estado do Amazonas, mostra levantamento do Mapbiomas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta