Notícias

As belas e ameaçadoras espirais dos ciclones tropicais

Ciclone, furacão, tufão. O nome depende de onde se forma, mas uma tempestades tropical é tão impressionantes vista do espaço quanto perigosa para quem está em seu caminho.

Redação ((o))eco ·
3 de junho de 2012 · 10 anos atrás

Ciclone tropical é um termo geral, e dependendo de sua localização geográfica e de sua intensidade pode ganhar várias denominações. No Pacífico noroeste eles são chamados de tufões, no Atlântico são conhecidos como furacões, e no Pacífico sul recebem o nome de ciclone. Normalmente um ciclone tropical recebe um nome próprio definido a partir de listas sazonais, para que o público em geral possa distinguir um sistema quando há vários diferentes em uma mesma bacia ao mesmo tempo. Um ciclone tropical é um sistema formado por grandes tempestades e é caracterizado por ser uma região onde a pressão atmosférica é significativamente menor e a temperatura é ligeiramente maior do que suas vizinhanças. Eles são os causadores de alguns dos piores desastres naturais do mundo, como o furacão Katrina. No caso de ciclones tropicais excepcionalmente destrutivos, o seu nome é retirado definitivamente de qualquer lista e outro nome é posto no seu lugar.

Nas fotos a seguir, divulgadas pelo Observatório da Terra da NASA, podemos ver fotos de vários ciclones tropicais ao redor do planeta.

 

Leia também

Notícias
27 de maio de 2022

São Paulo registra duas décadas de poluição do ar acima do recomendado pela OMS

Em alguns pontos da cidade, concentração de poluentes foi quatro vezes maior do que o indicado, mostra estudo. Poluição mata 7 milhões de pessoas por ano no mundo

Notícias
26 de maio de 2022

Conexão de trilhas e pessoas embala 1º Congresso Brasileiro de Trilhas

Evento que começou nesta quarta (25) e se estende até domingo, em Goiânia, conta com mais de 1.500 inscritos para discutir e fomentar a implementação de trilhas no Brasil

Salada Verde
26 de maio de 2022

A proposta de restaurar 900 campos de futebol de Mata Atlântica em dois anos

Projeto teve início no primeiro semestre de 2022 e seguirá até dezembro de 2023, com a proposta de restaurar 886.3 hectares de vegetação, sendo 720.8 em áreas de RPPNs e 165.5 em regiões do entorno

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta