Notícias

Pequenas mãos por um mundo mais verde

Crianças do Plant-for-the-Planet plantam duas árvores no próprio Riocentro e simbolizam a luta contra as mudanças do clima na Rio+20.

Flávia Moraes ·
22 de junho de 2012 · 9 anos atrás
O pequeno Galileo, de 4 anos, mostra a árvore que irá plantar. (Foto: Maristela Crispim)
O pequeno Galileo, de 4 anos, mostra a árvore que irá plantar. (Foto: Maristela Crispim)

O Plant-for-the-Planet luta por justiça climática em todo o mundo e desenvolveu o “Plano 3 Pontos para Salvar Nosso Futuro”, que consiste na eliminação progressiva do uso de combustíveis fósseis, até 2050, considerando a equivalência de direitos per capita de emissões em nível mundial com o plantio de 1 trilhão de árvores – 150 árvores por cidadão global.

Kjell Kuhne, da Alemanha, pai de Galileo, que nasceu no México, está no Brasil desde abril de 2012 para divulgar o movimento. Ele contou que tudo começou em janeiro de 2007, quando Felix Finkbeiner, de 9 anos, apresentou em sua escola um projeto de plantio de árvores inspirado no trabalho da africana Wangari Maathai, que plantou 30 milhões de árvores em seu país. Até o momento, cerca de 100 mil crianças de 100 países estão envolvidas na iniciativa, que desde março de 2011 adquiriu uma estrutura democrática representada por 14 crianças de oito nações.

Somente na Alemanha, onde o movimento começou, já foi ultrapassada a marca de um milhão de sementes plantadas. Além de Galileo, estiveram presentes representantes do Brasil, México, Índia e Dubai. “É uma excelente iniciativa em prol do desenvolvimento sustentável”, disse Kehkashan Basu, de 12 anos, representante de Dubai, que já havia plantado 42 árvores, sendo 37 no seu país e o restante na Índia, na Indonésia e no Quênia. Não menos empolgada estava a indiana Anoushka Gupta, de 14 anos, que estreou no movimento dizendo que estava sujando as mãos por uma boa causa.

Veja as imagens:

*Com fotos de Maristela Crispim, do Diário do Nordeste


Leia também

Salada Verde
3 de dezembro de 2021

Paraná pretende reativar trecho brasileiro de trilha histórica que liga o Atlântico ao Pacífico

Chamada de Caminhos do Peabiru, trilha tem 1.550 no trecho paranaense, que vai de Paranaguá a Guaíra. Caminho era usado por incas e guaranis, antes da colonização

Notícias
3 de dezembro de 2021

Amapá vende terras públicas invadidas a R$ 46 o hectare

Estado possui mais de 2,5 milhões de hectares de áreas ainda não destinadas. Cerca de 50% deste total é classificado como de importância biológica extremamente alta

Reportagens
3 de dezembro de 2021

Novo Código de Mineração propõe aprovação automática de milhares de processos parados na ANM

Proposta pode afetar mais de 90 mil requerimentos que aguardam aprovações técnicas e ambientais; medida ainda interfere na criação de unidades de conservação e dificulta demarcação de terras indígenas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta