Notícias

Chuvas no Acre: rodovia fechada e casas inundadas

Circulação de veículos foi novamente interrompida na BR 364, que liga o estado a Rondônia. Mais de mil pessoas estão desabrigadas no estado.  

Redação ((o))eco ·
25 de fevereiro de 2014 · 10 anos atrás

 Foto: Fernanda Melonio
Foto: Fernanda Melonio

Um rio de águas barrentas invade ruas e deixa apenas uma árvore a amostra. A cena registrada pela jornalista Fernanda Melonio na última terça-feira (18) aconteceu em frente ao escritório da ONG WWF-Brasil em Rio Branco, capital do Acre. A semana foi de chuvas fortes em quase toda região do estado. As cheias no rio Madeira, no estado vizinho, interromperam a circulação de veículos na única estrada que liga o estado ao resto do país, a BR-364, na altura do município de Jaci-Paraná, em Rondônia. No fim de semana, a rodovia havia sido liberada para caminhões, mas o rio Madeira voltou a subir, atingindo 18, 51 metros nesta terça-feira, de acordo com a Agência Nacional das Águas. Pelo menos 4 pontos da BR-364 continuam alagados.

O governo do Acre já contabiliza 1308 pessoas desabrigadas. Na sexta (21), a concessionária Eletrobras Distribuição Acre suspendeu o fornecimento de energia elétrica em 4 municípios acreanos – Rio Branco, Sena Madureira, Cruzeiro do Sul e Manoel Urbano -, e retirou medidores de 633 residências inundadas pelas cheias nos rios Acre, Iaco e Juruá. A empresa justificou as retiradas por motivo de segurança “para preservar a vida dos consumidores, técnicos que trabalham no local e as equipes da Defesa Civil”.

Desabastecimento

Por enquanto, o governador Tião Viana (PT) descarta a possibilidade de desabastecimento, mas já se adiantou entrando em contato com autoridades peruanas para garantir o abastecimento de combustível, caso a medida seja necessária.

O governo federal cedeu o uso de viação da FAB para transportar produtos perecíveis, como hortifrutigranjeiros e manter o estoque da região. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) fizeram sua parte priorizando a passagem de carretas e caminhões carregados com combustível e alimentos pela BR-364. Tudo para evitar que a população sofra com a falta de produtos e comida.

Nesta terça, uma reunião com os ministros da Integração (MI), Francisco Teixeira, e da Defesa (MD), Celso Amorim, o governador de Rondônia, Confúcio Moura, o vice-governador do Acre, César Messias, e o senador Jorge Viana avaliou a cheia que castiga os dois estados da federação.

 

Leia Também
Mudanças climáticas: chuvas alagam florestas na Bolívia
Lixo e lama no lugar do rio Negro
La Niña provoca chuvas nas Amazônia boliviana
Amazônia: Cientistas elucidam como desmatamento altera chuvas

 

Leia também

Análises
19 de julho de 2024

Transespinhaço: a trilha que está nascendo na única cordilheira do Brasil

Durante 50 dias e 740 quilômetros a pé, testei os caminhos da Transespinhaço em Minas Gerais, de olho nos desafios e oportunidades para esta jovem trilha de longo curso

Notícias
19 de julho de 2024

Indústria da carne age para distrair, atrasar e inviabilizar ação climática, diz relatório

Trabalho de organização europeia analisou 22 das maiores empresas de carne e laticínios em quatro continentes

Salada Verde
19 de julho de 2024

Amazônia é mais destruída pelo consumo nacional do que pelas exportações

Consumo e economias das grandes cidades do centro-sul são o principal acelerador do desmatamento da floresta equatorial

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.