Notícias

Funcionário do Ibama acusado de crime ambiental tem R$ 500 mil bloqueados pela justiça

A Advocacia-Geral da União pediu o bloqueio de bens do funcionário que tinha envolvimento com uma organização de crimes ambientais

Marcos Furtado ·
23 de agosto de 2020 · 1 anos atrás
Sede da Advocacia Geral da União (AGU). Foto: Advocacia Geral da União

A Advocacia-Geral da União (AGU) conseguiu na justiça o bloqueio de R$ 500 mil das contas de um servidor do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) acusado de improbidade administrativa. Em 2015, a Polícia Federal descobriu a participação do funcionário do instituto em uma organização criminosa que praticava crimes ambientais.

Segundo a AGU – autora do pedido de intervenção na Justiça Federal do Piauí – o servidor auxiliava na ocultação das infrações dos demais membros do grupo contra a legislação ambiental e os órgãos de controle por meio do seu cargo público. “Não há dúvidas de que o réu praticou dolosamente atos ilícitos que configuram improbidade administrativa. De um lado, atuava como técnico ambiental, realizando inclusive autuações em ações fiscalizatórias; de outro, laborava como advogado privado de infratores ambientais, fazendo uso do cargo público e da experiência que adquiriu na Autarquia para beneficiar-se economicamente em detrimento da dignidade da função pública”, diz um trecho dos autos.

A solicitação de congelamento provisória dos bens foi autorizada de forma rápida no dia 5 de agosto. O valor foi calculado com base na restituição do prejuízo público. De acordo com Caio Nogueira, procurador-chefe da Procuradoria Federal no Piauí, a agilidade no processo garante que o acusado não transferisse ou gastasse as posses. “A urgência em solicitar esse montante liminarmente decorre da necessidade de evitar que ocorra uma dilapidação do patrimônio, de modo que seja garantida a reparação do dano e a repreensão à prática desses atos de corrupção e de improbidade administrativa.” O indiciado ainda pode ser exonerado do cargo, ter suspensão dos direitos políticos e ser proibido de contratar com o poder público.

 

Leia Também 

Por conluio com madeireiras, três servidores do Ibama são presos

Ex-superintendente do Ibama é preso pela Polícia Federal

 

  • Marcos Furtado

    Escreveu para ((o))eco, Estadão, Folha de SP, Colabora. Ganhou o Prêmio Santander Jovem Jornalista e teve o 3º lugar em concurso do ICFJ

Leia também

Notícias
25 de abril de 2019

Ex-superintendente do Ibama é preso pela Polícia Federal

Operação Arquimedes começou, no início da manhã desta quinta-feira (25), a desarticular um esquema de corrupção envolvendo extração ilegal de madeira na floresta amazônica

Salada Verde
31 de outubro de 2017

Por conluio com madeireiras, três servidores do Ibama são presos

Operação da Polícia Federal, feita com o apoio do próprio Instituto, combate crime ambiental em cinco municípios do Pará. Quatro pessoas foram presas

Reportagens
26 de janeiro de 2022

Especialistas criticam medidas de curto prazo adotadas contra a estiagem no Rio Grande do Sul

Governo estadual e representantes do agronegócio pedem recursos para cobertura de prejuízos, abertura acelerada de poços artesianos e até barramentos em áreas de preservação permanente

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta