Salada Verde

Fazendeiro é condenado a pagar R$ 3 milhões por desmatamento na Amazônia

Sebastião Machado de Oliveira desmatou 694 hectares no interior da Gleba Carapanã em São Félix do Xingu, no Pará. A Justiça acatou pedido do INCRA e da AGU

Sabrina Rodrigues ·
9 de outubro de 2019 · 3 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Desmatamento ocorreu na Fazenda Nega Madalena, em São Félix do Xingu, no Pará. Foto: Ibama.

O fazendeiro Sebastião Machado de Oliveira terá que pagar mais de R$ 3 milhões pelo desmatamento de 694 hectares na Fazenda Nega Madalena, localizada no interior da Gleba Carapanã, no município de São Félix do Xingu (PA). A decisão do juiz federal Felipe Bouzada Flores Viana saiu em julho, mas só foi divulgada na terça-feira (08).

O magistrado acatou um pedido do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) que através da Advocacia Geral da União (AGU) entrou com uma ação civil pública solicitando a reintegração definitiva da posse do imóvel, o cancelamento do registro imobiliário e a indenização.

“Julgo procedentes os pedidos para: declarar a nulidade e determinar o cancelamento definitivo da matrícula n° 0896, do Cartório de Registro de Imóveis de São Félix do Xingu/PA, bem como dos registros e averbações correspondentes e subsequentes; b) Reintegrar definitivamente a posse do imóvel objeto da inicial ao INCRA; c) Condenar Sebastião Machado de Oliveira ao pagamento de indenização para fins de recomposição dos danos ambientais causados em valor correspondente a R$ 3.018.037,65 (três milhões, dezoito mil, trinta e sete reais e sessenta e cinco centavos)”, decidiu o juiz na sentença.  

Segundo a AGU, a aquisição da propriedade se deu de forma clandestina, fraudulenta e com uso de matrícula falsa. O fato foi descoberto após a propriedade ser alvo de apreensão pela Justiça por ser usada para tráfico de drogas.

O fazendeiro poderá recorrer da decisão, tendo assim, 15 dias para fazê-lo.

Saiba Mais

Sentença

 

Leia Também

AGU cria força tarefa para atuar contra grandes desmatadores 

Das araucárias à Amazônia: os insaciáveis desmatadores sulistas

Fazendeiro é flagrado ateando fogo na Chapada dos Veadeiros

 

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Salada Verde
2 de outubro de 2019

Fazendeiro é flagrado ateando fogo na Chapada dos Veadeiros

Flagrante aconteceu depois que agentes do Ibama, ICMBio, Corpo de Bombeiros e voluntários cessaram incêndio que durou mais de uma semana

Análises
24 de janeiro de 2018

Das araucárias à Amazônia: os insaciáveis desmatadores sulistas

Os fantasmas da Guerra do Contestado parecem perambular pelo arco do desmatamento da Amazônia. Eles nos dão uma pista sobre o futuro da região e sussurram: “mirem-se nos pinheirais”

Salada Verde
24 de setembro de 2019

AGU cria força tarefa para atuar contra grandes desmatadores 

Grupo atuará em ações judiciais contra infratores ambientais na Amazônia. Portaria foi assinada nesta terça-feira em cerimônia em Brasília

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta