Notícias

Infidelidade dos crocodilos é boa notícia para conservação

Múltipla paternidade em ninhos de crocodilos-do-orinoco pode contribuir para aumento da diversidade genética da população.

Vandré Fonseca ·
21 de março de 2016 · 6 anos atrás
Crocodilo-do-orinoco é considerado o maior predador das Américas, mas está criticamente ameaçado de extinção. Foto: Josh More/Flickr
Crocodilo-do-orinoco é considerado o maior predador das Américas, mas está criticamente ameaçado de extinção. Foto: Josh More/Flickr

Manaus, AM — A infidelidade de crocodilos-do-orinoco (Crocodylus intermedius) reintroduzidos na natureza foi comprovada por testes de paternidade realizados em ninhos da Estação Biológica El Frio, na Venezuela. Esta é uma boa notícia para os esforços de reintrodução e conservação desta espécie considerada criticamente ameaçada de extinção pelos critérios da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN, em inglês).

O crocodilo-do-orinoco é o maior predador das Américas (maior do que o jacaré-açu amazônico), com registro de animais com mais de 6 metros de comprimento, mas devido à caça em busca de seu couro, a população dos animais foi bastante reduzida nos séculos XIX e XX. Hoje é uma das espécies de crocodilianos mais ameaçadas do mundo e está restrito a poucas populações no Vale do Orinoco, na Colômbia e Venezuela.

O estudo foi publicado em março, no jornal científico de acesso aberto PLOS ONE, pela equipe da pesquisadora Natalia Rosse Laferriere, da Universidade de Columbia, Estados Unidos. Por meio de análises genéticas, os pesquisadores descobriram que 14 fêmeas e 16 machos eram responsáveis pelos filhotes encontrados em 20 ninhos diferentes e, em cada ninho, os ovos haviam sido fertilizados por dois ou três machos diferentes.

De acordo com os pesquisadores, além de a paternidade múltipla contribui para aumentar a diversidade genética da espécie e, por ter sido registrada em uma população reintroduzida, atesta o sucesso do programa em curso. Mas eles admitem, no entanto, que são necessários mais estudos para descobrir outros fatores que podem ajudar nos esforços de conservação da espécie.Eles verificaram também que os machos contribuem de forma desigual para a prole, alguns são responsáveis por um número maior de filhotes. O resultado indicou que apenas seis machos eram responsáveis por 90% da prole. E apenas dois ou três machos eram responsáveis por 70% dos filhotes. Foi a primeira evidência de múltipla paternidade (quando vários pais são responsáveis por fecundar ovos de uma mesma ninhada) na população de crocodilos reintroduzida na Estação Biológica.

Estudo foi realizado em ninhos de crocodilos reintroduzidos na Estação Biológica El Frio, na Venezuela. Divulgação.
Estudo foi realizado em ninhos de crocodilos reintroduzidos na Estação Biológica El Frio, na Venezuela. Divulgação.

 

 

Saiba Mais

Multiple Paternity in a Reintroduced Population of the Orinoco Crocodile (Crocodylus intermedius) at the El Frío Biological Station, Venezuela. LAFFERRIER, Natalia A Rossi e al.

 

Leia Também

Crocodilo do Nilo: Deuses da criação viraram sapato e bolsa

Atividade humana pode extinguir metade das espécies de crocodilos do mundo

William Magnusson: a ciência cidadã potencializa mudanças

 

 

 

 

Leia também

Reportagens
8 de março de 2016

William Magnusson: a ciência cidadã potencializa mudanças

Destacado pesquisador da Amazônia, onde atua desde 1979, acredita que a união do conhecimento tradicional com a ciência pode ser transformadora

Reportagens
8 de setembro de 2015

Atividade humana pode extinguir metade das espécies de crocodilos do mundo

Pesquisador alerta para "futuro sombrio", embora a maior espécie de crocodilo do mundo esteja segura, devido à proibição da caça na Austrália.

Análises
22 de janeiro de 2013

Crocodilo do Nilo: Deuses da criação viraram sapato e bolsa

Antes venerados, viraram material para acessórios de selvagens “chics”. Encontrar os devoradores de gnus do rio Grumeti inspira humildade.

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta